Carrasco

Quercus coccifera

Família e descrição

Da família Fagaceae, o carrasco é um carvalho arbustivo que pode atingir o porte arbóreo até aos 9m de altura. É de folha persistente, com copa densamente ramificada desde o chão. O tronco tortuoso e curto é acinzentado.

Muito parecido com as azinheiras, possui folhas simples, alternas, ovadas, coriáceas, brilhantes e glaucas na página inferior, sem pelos mas com uma margem com marcados espinhos.

A floração ocorre entre abril e maio. As flores são muito pequenas, amarelas, em numerosos grupos pendentes na extremidade dos raminhos.

O fruto é uma bolota, ovado-lanceolada, com cúpula córnea coberta por escamas imbricadas que surge em agosto do ano seguinte à floração.

 

Origem e habitat 

Originário do sul da Europa, este arbusto é espontâneo em toda a região mediterrânica.

O seu habitat é caraterizado pelos solos secos e pedregosos, com preferência por calcários, podendo também ocorrer em outros substratos. Sobre calcários forma geralmente matos ou matagais bastante densos (carrascais) onde é dominante.

 

Utilizações e curiosidades

Nas regiões onde é espontâneo, o carrasco é muito usado para formar sebes de compartimentação entre terrenos agrícolas, sendo um excelente abrigo para muita fauna silvestre cuja atividade é benéfica para a agricultura, nomeadamente algumas aves insetívoras.

As bolotas são mais amargas que as das restantes espécies de Quercus. São contudo um importante alimento para a fauna silvestre, podendo também ser usadas para alimentar porcos e cabras.

Esta espécie é especialmente resistente à seca, à poluição e até a repetidos fogos ou intenso pastoreio, já que as suas densas e grossas raízes rebentam com facilidade após o consumo da parte aérea da planta.

Pode hibridar com a azinheira.