Eilt! Obra Perdida / Lost Work. Emmerico Nunes

Exposição individual do artista luso-alemão Emmerico Nunes (1888-1968). A mostra apresentou um conjunto de cerca de 500 desenhos humorísticos para o periódico alemão Meggendorfer-Blätter que se julgavam perdidos. Permitiu mostrar, pela primeira vez, um conjunto coerente da vasta obra do artista.
Solo exhibition of work by Portuguese-German artist Emmerico Nunes (1888-1968). The show featured around 500 humorous drawings from the German publication Meggendorfer Blätter (Munich 1888-1944), which had previously been believed to be lost. The show represented the first vast, coherent display of the artist’s work.

A exposição «Eilt! Obra Perdida», de Emmerico Nunes (1888-1968), foi inaugurada a 18 de abril de 2013 na Galeria do Piso 01 do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

A exposição apresentou cerca de 500 desenhos humorísticos – que se julgavam perdidos na sequência da destruição de Munique na Segunda Guerra Mundial – realizados por Emmerico Nunes para o periódico alemão Meggendorfer-Blätter (1888-1944), o que permitia mostrar, pela primeira vez, um conjunto coerente desta parte da vasta obra do artista luso-alemão.

A exposição integrava a melhor época da sua produção gráfica (década de 1910) e ainda um conjunto importante de desenhos datados da década de 1920, igualmente destinados à revista alemã, mas na sua maioria realizados em Portugal, para onde o artista regressou em 1918, com incursões esporádicas ao estrangeiro.

Emmerico Nunes desenvolve duas temáticas distintas: a sátira de costumes (1911-1937) e a crónica de guerra (1914-1918), que acompanha o conflito mundial. O catálogo da exposição reproduz as obras expostas.

Em 2004-2005, tinha-se realizado a única exposição com um núcleo especificamente consagrado a Emmerico Nunes e à imprensa alemã, que esteve patente no Museu Nogueira da Silva, em Braga, e depois no Centro Cultural Português, no Luxemburgo, integrada no congresso «Portugueses no Exílio», promovido pelo Centro de Estudos Portugueses da Universidade de Trier, na Alemanha.

Tanto a vida como a obra de Emmerico Nunes seriam fortemente marcadas pela sua condição de artista entre pátrias, que se reflete nas duas artes que praticou com intenso e idêntico prazer: o desenho humorístico e a pintura. Com o desenho humorístico, Emmerico ganhou confortavelmente a sua vida em Munique (1911-1914) e em Zurique (1914-1918), depois de cinco anos de formação em Paris (1906-1911).

Com condições de trabalho em Portugal muito difíceis, o artista colaborou ainda com o jornal satírico espanhol Buen Humor (1921-1936), com as revistas portuguesas ABC, ABCzinho e ABC a Rir e com outros periódicos (O Domingo Ilustrado, Ilustração, O Senhor Doutor, Magazine Bertrand), a que se somaram também colaborações com um ateliê de artes gráficas em Berna, na Suíça: o Atelier Häusler.

Emmerico Nunes colaborou nas Exposições dos Humoristas de 1912 a 1924 e nas exposições da Sociedade Nacional de Belas-Artes de 1910 a 1956, tendo sido contemplado com a primeira medalha de caricatura em 1910 e com a segunda medalha de pintura em 1917. Participou igualmente nas exposições de arte moderna do SPN/SNI de 1935 a 1951.

Colaborou igualmente na realização dos Pavilhões de Portugal na Exposição Internacional de Artes e Técnicas de Paris, em 1937, na Feira Mundial de Nova Iorque e na Exposição Internacional de São Francisco (Califórnia) em 1939, bem como na decoração da Exposição do Mundo Português de 1940.

Emmerico Nunes parece procurar um novo tipo de grafismo, que se situa para além dos registos académicos naturalista e modernista, tendo sido um dos caricaturistas portugueses com maior êxito internacional.

Maria Maya, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Eventos Paralelos

Visita(s) guiada(s)

À Conversa com a Curadora. Isabel Lopes Cardoso

mai 2013 – jun 2013
Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna
Lisboa, Portugal
Visita(s) guiada(s)

Domingos com Arte

abr 2013 – jun 2013
Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna
Lisboa, Portugal
Visita(s) guiada(s)

Uma Obra de Arte à Hora do Almoço

jun 2013
Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna
Lisboa, Portugal

Publicações


Material Gráfico


Fotografias

António Correia e Rui Esgaio
Leonor Nazaré
Isabel Maria Czerwionka Lopes Cardoso
Eduardo Marçal Grilo (à dir.)
José de Guimarães e Isabel Carlos

Fontes Arquivísticas

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 4798

Coleção fotográfica, cor: aspetos (FCG, Lisboa) 2013

Arquivo Digital Gulbenkian, Lisboa / ID: 4799

Coleção fotográfica, cor: inauguração (FCG, Lisboa) 2013


Exposições Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.