1939

  • Em agosto mora na Rua Ivens, n.º 2, 3.º direito (Pensão Liège) em Lisboa.
  • Em outubro passa a morar na Rua de São Marçal, n.º 192, 2.º andar em Lisboa.
  • A partir de Angra do Heroísmo, a 30 de agosto, pede requerimento com procuração ao escultor Vasco Almeida Lucena, colega da Escola de Belas-Artes de Lisboa, concedendo-lhe poderes para o matricular na cadeira de Desenho Arquitetónico, a última que lhe faltava para terminar o Curso Especial de Pintura. A 21 de outubro requere diploma de frequência do Curso Especial de Pintura, ainda por finalizar, com fins a concurso para professor do Ensino Técnico, de que não se consta ter chegado a concorrer.
  • Concebe o primeiro quadro de clara marcação surrealista (Diálogo).
  • É-lhe pedido informalmente um trabalho para a «Exposição do Mundo Português», apresentando Dacosta um desenho de teor surrealista (Portugal Insular) que lhe seria devolvido por inadequação. Ofereceria o desenho ao seu amigo e pintor Maduro Dias, numa das visitas de férias a Angra do Heroísmo, numa esplanada do Pátio da Alfândega da cidade.

Obras Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.