José Alberto Pessoa

(Figueira da Foz, 1919-1985, Lisboa)

Arquitecto estabelecido em Lisboa, activo em Portugal entre 1945 e 1982. Diplomou-se na Escola de Belas-Artes de Lisboa em 1943 e tirocinou (1947-1950) com Keil do Amaral, colaborando nos equipamentos para os Parques de Lisboa. Em 1949 projecta o primeiro bloco em altura em Lisboa segundo os códigos do Estilo Internacional: um moderno edifício de escritórios (depois transformado no Hotel Infante Santo), com Centro Comercial a meio, assim adaptando a circulação pedonal à topografia de Lisboa. Segue-se o Conjunto da Av. Infante Santo (1952-1955), uma enorme plataforma suspensa e separada da via de trânsito onde assentam vigorosos blocos de habitação. Entre 1950 e 1960 foi professor da ESBAL e um dos directores da revista Arquitectura. Em 1961, projectou a associação Académica de Coimbra, incluindo o Teatro de Gil Vicente. Da sua vasta obra destaca-se o Auto-Silo do Porto (1961) e a Piscina do Areeiro em Lisboa, mas é sobretudo a Sede e Museu da Fundação Calouste Gulbenkian (1959-1969 com Pedro Cid e Ruy Athouguia) que constitui a obra referencial. A sua extensa obra  foi consagrada com dois Prémios  Valmor ( 1949, Casa Cantante da Mota; 1975, Sede e Museu  da Fundação Fundação  Calouste Gulbenkian).

 

No conjunto da sua obra destacam-se ainda o Estudo da Praça Pasteur e Av. de Paris (Lisboa, 1949, com Chorão Ramalho, J. Bastos e L. Crus); Biblioteca Central da Faculdade de Letras (Cidade Universitária de Coimbra,1945).

 

Ana TOSTÕES, Fundação Calouste Gulbenkian – Os Edifícios, F.C.G, Lisboa, 2006, p.272