22 Fevereiro 2019

Sequeira Costa (1929-2019)

A perda de um grande artista

Sequeira Costa © Thomas Probasco

A morte de José Carlos Sequeira Costa representa a perda de um dos maiores intérpretes musicais portugueses do século XX e, no momento da sua morte,  a Fundação Calouste Gulbenkian presta sentida homenagem a um grande artista e a um colaborador fundamental na história da intervenção da instituição no campo das Artes”, afirmou a Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian .

Como um dos últimos discípulos de Viana da Mota, Sequeira Costa afirmou-se desde muito cedo como uma referência internacional numa tradição pianística derivada da escola de Liszt, sendo convidado, ainda muito jovem, a apresentar-se nas mais prestigiosas salas de concerto mundiais e a integrar os júris de alguns dos principais concursos internacionais de piano, como o Concurso Tchaikovsky de Moscovo. A sua carreira esteve sempre estreitamente associada à Fundação Calouste Gulbenkian. Foi um colaborador frequente da Temporada de Música da Fundação, quer em recital, quer como solista da Orquestra Gulbenkian, com a qual também se apresentou no estrangeiro e em gravações de estúdio. Como pedagogo distinto, regeu na Fundação durante anos um curso de aperfeiçoamento de técnica e interpretação pianísticas que foi fundamental para a formação e revelação de sucessivas gerações de pianistas. A sua classe de Piano na Universidade do Kansas tornou-se num centro de formação procurado por alunos de todas as nacionalidades, e o Concurso Internacional de Piano Viana da Mota, que fundou e que contou desde sempre com um apoio relevante da Fundação Gulbenkian, afirmou-se ao longo dos anos como uma referência entre as grandes competições do género.

 

Atualização em 22 Fevereiro 2019