Ton Koopman

Maestro

Ton Koopman nasceu em Zwolle, na Holanda, em 1944. Depois de concluir a sua formação musical inicial, estudou órgão, cravo e musicologia em Amesterdão, tendo-lhe sido atribuído o Prix d’Excellence em ambos os instrumentos. Desde o início dos seus estudos, sentiu-se fascinado pelos instrumentos históricos originais e pelo seu som autêntico. Como organista e cravista, tocou nos mais famosos instrumentos históricos da Europa. Criou a sua primeira orquestra barroca em 1969 e em 1979 fundou a Amsterdam Baroque Orchestra, seguindo-se o Amsterdam Baroque Choir em 1992.

Como solista e maestro, atuou nas principais salas de concertos e festivais internacionais. Dirigiu as mais proeminentes orquestras mundiais, sendo também uma presença habitual nos concertos da Fundação Gulbenkian há mais de trinta anos, tendo já dirigido o Coro e a Orquestra Gulbenkian na presente temporada.

Ton Koopman realizou um grande número de gravações discográficas, tendo em 2003 criado a sua própria etiqueta: a Antoine Marchand. Entre 1994 e 2004, dirigiu e gravou uma integral das Cantatas de J. S. Bach, um vasto trabalho pelo qual lhe foram atribuídos o Deutsche Schallplattenpreis – Echo Klassik, o prémio BBC 2008, o Prémio Hector Berlioz e o prémio Gramophone, tendo sido também nomeado para os prémios Grammy. Em 2000 foi-lhe atribuído um doutoramento honoris causa pela Universidade de Utrecht, em função do seu trabalho académico em torno das Cantatas e Paixões de J. S. Bach. Recebeu também o prémio Silver Phonograph e o VSCD Classical Music Award. Em 2006 foi distinguido com a Medalha Bach da Cidade de Leipzig. A partir de 2005, ao longo de uma década, empreendeu um novo projeto de grande fôlego: a gravação da obra integral de Dietrich Buxtehude.

Ton Koopman é professor na Universidade de Leiden, Presidente da Sociedade Internacional Dieterich Buxtehude, Diretor Artístico do festival Itinéraire Baroque e Membro Honorário da Royal Academy of Music, em Londres.

 

Abril 2016