Thomas Adès

Piano

Thomas Adès nasceu em Londres em 1971. Cedo se celebrizou como compositor e intérprete, colaborando regularmente com as principais orquestras, companhias de ópera e festivais. As suas composições incluem três óperas: The Exterminating Angel, estreada no Festival de Salzburgo em 2016, The Tempest (2004) e Powder Her Face (1995). Para além de peças a solo e de música de câmara, a sua produção inclui várias obras orquestrais: Asyla (City of Birmingham Symphony, 1997), Tevot (Filarmónica de Berlim, 2007), Polaris (New World Symphony, Miami, 2011), Concerto para Violino Concentric Paths (Festival de Berlim e BBC Proms, 2005), Concerto para Piano In Seven Days (Filarmónica de Los Angeles, 2008), e Totentanz, para meio-soprano, barítono e orquestra (BBC Proms, 2013).

Como maestro, Adès dirige regularmente, entre outras orquestras, as Filarmónicas de Los Angeles, Nova Ioque e Londres, as Sinfónicas de Londres, da BBC, de Birmingham, de Melbourne e de Sydney e a Orquestra do Real Concertgebouw de Amesterdão. Dirigiu a Orquestra Gulbenkian em janeiro de 2012. Na temporada passada estreou-se à frente da Filarmónica Checa. Foi recentemente nomeado Artista Associado da Sinfónica de Boston, função que em 2019 inclui a direção da orquestra em Boston e em Tanglewood.

Como pianista, Adès apresentou-se recentemente no Carnegie Hall (Stern Auditorium) de Nova Ioque e no Wigmore Hall de Londres. Ao longo da presente temporada, para além da Fundação Gulbenkian, apresenta em Londres, Paris e Brno o programa dedicado a obras de Janáček para piano solo, acompanha Ian Bostridge, em Viagem de Inverno de Schubert, no Wigmore Hall, e partilha o palco com Kirill Gerstein no Carnegie Hall e no Festival de Tanglewood.

Destacada em inúmeros festivais internacionais, a música de Adès tem recebido numerosas distinções como o Prémio Grawemeyer (Asyla, 1999), o Royal Philharmonic Society Music Award for Large-Scale Compositions (The Tempest e Tevot), o Prémio de Composição Ernst von Siemens (Arcadiana); ou o British Composer Award (The Four Quarters). As suas obras receberam também vários prémios discográficos, incluindo Gramophone (2010), Diapason d’Or de l’année (2013), ECHO Klassik e Grammy (2014). Em 2015, Thomas Adès recebeu o prestigioso Prémio de Música Léonie Sonning.

 

Dezembro 2018