Simon Höfele
Simon Höfele © Jakob Ganslmeier

Simon Höfele

Trompete

Simon Höfele é um dos mais promissores trompetistas da nova geração. Como solista, tocou com, entre outras, a Orquestra do Real Concertgebouw de Amesterdão, a Filarmónica da BBC, a Orquestra Nacional da BBC do País de Gales, a Ulster Orchestra, a Rundfunk-Sinfonieorchester Berlin, a Konzerthausorchester Berlin, a SWR Symphonieorchester, a MDR Sinfonieorchester, a NDR Radiophilharmonie, a Deutsche Radio Philharmonie, a Mahler Chamber Orchestra, a Münchener Kammerorchester e a Deutsche Kammerphilharmonie Bremen, em prestigiadas salas de concertos como o Wigmore Hall de Londres, o Tonhalle de Zurique, o Konzerthaus de Viena, o BOZAR de Bruxelas, a Elbphilharmonie de Hamburgo, o Konzerthaus de Berlim e o Prinzregententheater de Munique. Tem sido também regular a sua presença em importantes festivais como o Cheltenham Music, o Festival da Radio France-Montpellier, o Festival de Schleswig-Holstein ou o Rheingau Musik, entre muitos outros. Para além do repertório corrente para trompete, de G. P. Telemann a B. A. Zimmermann, Höfele tem também estreado obras contemporâneas como o duplo concerto para trompete Chute d’Étoiles (2012), de Matthias Pintscher, ou novas peças de M. Simpson, L. Bulak e N. Šenk. Em recital, colabora com os pianistas Frank Dupree, Eriko Takeawa e Kärt Ruubel. Em paralelo com os seus projetos musicais, Simon Höfele é ativista no domínio das políticas culturais, tendo fundado a associação Kunstverlust.