Rita Castro Blanco © DR

Rita Castro Blanco

Maestra

Rita Castro Blanco é uma das eminentes jovens maestras portuguesas, tendo-se estreado recentemente com a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra das Beiras, a Orquestra do Norte e os grupos Síntese – Grupo de Música Contemporânea e Capdeville Ensemble. Desenvolve a sua carreira maioritariamente em Portugal e no Reino Unido, onde ocupou o lugar de Maestra Titular da Huddersfield Philharmonic Orchestra, de setembro de 2019 a janeiro de 2022.

Rita Castro Blanco tem vindo a desenvolver a sua experiência e interesse nos campos da música operática e contemporânea, o que conduziu à sua participação, no verão de 2021, no programa Mentorship for Woman Conductors do Festival d’Aix-en-Provence e a ser uma de apenas quatro Conducting Fellows do Festival de Lucerna.  No verão de 2020, foi a Diretora Musical da competição Maratona Ópera XXI, inserida no Operafest Lisboa 2020, onde estreou sete óperas portuguesas originais nos Jardins do Museu Nacional de Arte Antiga, encenadas por António Pires.

Para além das recentes estreias, a jovem maestra tem vindo a colaborar profissionalmente como assistente em vários projetos operáticos, tais como: Così fan tutte, de Mozart, com a Orquestra Gulbenkian e Nuno Coelho (março 2022), La Passion de Simone, da finlandesa K. Saariaho, com a Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos e Joana Carneiro (maio 2021), Missa de Bernstein, com a Orquestra Gulbenkian e Clark Rundell (dezembro 2019), Suor Angelica e Gianni Schicchi de Puccini, com a orquestra de ópera do Royal Northern College of Music (RNCM) e Martin André (dezembro 2018), e na estreia de Beaumarchais, uma encomenda conjunta da Fundação Gulbenkian e do Teatro Nacional D. Maria II (julho 2017), com a Orquestra Gulbenkian e Pedro Amaral.

Rita Castro Blanco iniciou a sua formação musical no Conservatório de Música da Metropolitana de Lisboa. Posteriormente, estudou na Academia Nacional Superior de Orquestra, onde obteve a Licenciatura em Música, variante de Direção, na classe de Jean-Marc Burfin. Em 2019 concluiu o Mestrado em Performance no RNCM, na classe de Clark Rundell e Mark Heron. Na prova final de mestrado, dirigiu um programa diverso e exigente à frente da BBC Philharmonic, que incluiu a estreia mundial do Concerto para Saxofone de Tom Harrold, e o poema sinfónico de Luiz de Freitas Branco, Anthero de Quental.

Durante os estudos no RNCM, Rita Castro Blanco colaborou com a BBC Philharmonic, a Royal Liverpool Philharmonic, a Manchester Camerata e a Hallé Orchestra como maestra assistente. Tem participado em masterclassses e trabalhado com grandes maestros e pedagogos internacionais como Sir Mark Elder, Johannes Schlaefli, Mark Stringer, Thomas Hengelbrock, Mark Shanahan, Jessica Cottis e as orquestras BBC Philharmonic, City of Birmingham Symphony, Stavanger Symphony, Balthasar Neumann Ensemble, Orchestra of the Royal Opera House, London Sinfonietta e CHROMA Ensemble. Os seus mais recentes compromissos incluem a Conducting Fellowship do Festival de Tanglewood e uma colaboração com a Lucerne Festival Contemporary Orchestra, onde terá a oportunidade de trabalhar com os compositores galardoados com as Roche Young Comissions de 2023.

Atualização em 08 janeiro 2023

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.