Marco Alves dos Santos

Tenor

Marco Alves dos Santos nasceu em Lisboa. Como bolseiro da Fundação Gulbenkian, licenciou-se em canto pela Guildhall School of Music and Drama, em Londres. Iniciou a sua carreira profissional em 2003. Apresentou-se como solista em Portugal, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Alemanha, tendo interpretado vários papéis de ópera e opereta: Tamino (A flauta mágica); Mr. Owen (Postcard from Morocco de D. Argento); Gastone (La traviata); Tristan (Le Vin herbé de F. Martin); Leandro (La Spinalba de F. A. de Almeida); Orphée (La descente d’Orphée aux enfers de Charpentier); Ernesto (Don Pasquale); Anthony (Sweeney Todd); Nathanael (Les contes d’Hoffmann); Duque de Mântua (Rigoletto); Prunier (La rondine); Kornelis (La princesse jaune de Saint-Saëns); Pierre (The Wandering Scholar de G. Holst); ou Ferrando (Così fan tutte). Em 2015/16 interpretou os papéis de Oddio (Armida de Myslivecek), Malcolm (Macbeth), Yamadori (Madama Butterfly), D. Sancho (O Cavaleiro das Mãos Irresistíveis de Ruy Coelho), Conde Barigoulle (Cendrillon de P. Viardot), Conde Almaviva (O barbeiro de Sevilha), Berger (Oedipus Rex), bem como o Evangelista nas Oratórias de Natal, de Páscoa e da Ascensão, de J. S. Bach, com a Orquestra Metropolitana, e tenor solista no Te Deum de Charpentier, com a Orquestra Gulbenkian. No âmbito do repertório sinfónico destacam-se ainda concertos com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, o Remix Ensemble, as Orquestras do Algarve, das Beiras, Clássica de Espinho e do Norte, a Sinfónica Juvenil, o Divino Sospiro e o Ensemble MPMP.

 

Fevereiro 2017