Luís Duarte Moreira

Luís Duarte Moreira

Trompa

Luís Duarte Moreira é natural de Paços de Ferreira e nasceu em 1993. Iniciou a sua formação musical e o estudo do saxofone aos dez anos de idade na Banda Musical de Paços de Ferreira. Em 2005 ingressou na Escola Profissional Artística do Vale do Ave (ARTAVE), na classe de trompa de Hélder Vales. Concluiu com a classificação máxima o recital final (média de curso de 18 valores), tendo sido laureado com o Prémio Dra. Manuela Carvalho. A partir de 2011, prosseguiu os seus estudos na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) com Abel Pereira, Bohdan Sebestik e Nuno Vaz, tendo concluído o recital final de licenciatura com a máxima distinção. Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, em 2018 concluiu o Master em Performance na Hochschule für Musik Hanns Eisler, em Berlim, na classe de Marie-Luise Neunecker, tendo-lhe sida atribuída a classificação máxima no exame final. Durante o seu percurso académico frequentou inúmeros cursos de aperfeiçoamento, o que lhe permitiu colaborar com profissionais de renome nacional e internacional.

Foi galardoado no Concurso Internacional de Instrumentos de Sopro “Terras de La Salette” nas categorias Júnior e Sénior, alcançando o 1.º prémio em ambas. Em 2016 recebeu o 2.º prémio (1.º prémio não atribuído) no Internationaler Instrumentalwettbewerb Markneukirchen, na Alemanha. Em 2017 foi galardoado no Prémio Jovens Músicos com o 1.º prémio na categoria superior de Trompa. Em 2018 recebeu uma Menção Honrosa no conceituado concurso Primavera de Praga, na República Checa. Em 2019 venceu o Concurso Internacional de Sopros do Alto Minho, na categoria de metais. Foi membro fundador do Quinteto de Sopros Klaue, com o qual alcançou o 2.º prémio no Prémio Jovens Músicos na categoria superior de Música de Câmara (2015).

Integrou a Orquestra Sinfónica APROARTE, a Sinfónica da ESMAE, o Estágio Gulbenkian para Orquestra, a Orquestra Jovem Sinfónica da Galiza, a Landesjugendorchester Bremen e a Gustav Mahler Jugendorchester. Como solista A, em 2012 integrou a Fundação Orquestra Estúdio, integrada no projeto Guimarães Capital da Cultura. Colabora regularmente com a Banda Sinfónica Portuguesa, a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra XXI, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra Gulbenkian e a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Entre setembro de 2018 e dezembro de 2019, integrou a Orquestra Sinfónica da Galiza. Apresentou-se a solo com a Orquestra ARTAVE, com a Philharmonisches Orchester Plauen-Zwickau e com a Orquestra Gulbenkian. Em 2012 e 2013 foi professor orientador no Encontro Nacional de Jovens Músicos em Vieira do Minho. Na temporada 19-20 integrou a Orquestra Gulbenkian como chefe de naipe convidado.