Ludovice Ensemble

O Ludovice Ensemble é um grupo especializado na interpretação de música antiga. Foi criado em 2004 por Fernando Miguel Jalôto e Joana Amorim com o objetivo de divulgar o repertório de câmara vocal e instrumental dos séculos XVII e XVIII, através de interpretações historicamente informadas e usando instrumentos antigos. O seu nome homenageia o arquiteto e ourives alemão Johann Friedrich Ludwig (1673-1752), conhecido em Portugal como Ludovice. O grupo trabalha regularmente com os melhores intérpretes especializados, portugueses e estrangeiros. Apresentou-se nos principais festivais em Portugal e é uma presença regular no Centro Cultural de Belém (CCB) e na Fundação Gulbenkian. Em 2011 representou Portugal no encontro do Réseau Européen de Musique Ancienne, na Casa da Música. No estrangeiro, atuou no festival Laus Polyphoniae do AMUZ de Antuérpia, no festival Oude Muziek (Utrecht), nos festivais de La Chaise-Dieu, Musiques en Vivarais-Lignon e Festes Baroques (França), no festival de Música Barroca de Praga, no Festival Felicja Blumental (Telavive) e na Universidade Mórmon de Jerusalém. É uma presença regular em Espanha, nos Festivais de Música Antiga de Aranjuez, de Daroca e de Peñíscola, no festival Camiños de Santiago de Jaca, no Ciclo das Artes de Lugo, no Febrero Lirico do Real Coliseo Carlos III – San Lorenzo del Escorial, na Semana de Musica Antigua de Vitoria-Gasteiz e no Festival de Badajoz. Gravou ao vivo para a Antena 2, a Rádio Nacional Checa e o canal Mezzo. O seu primeiro CD (Ramée/Outhere) foi nomeado em 2013 para os prestigiados prémios ICMA, na categoria de Barroco Vocal. Colaborou com o Huelgas Ensemble de Paul Van Nevel e com o violinista italiano Enrico Onofri. No CCB, apresentou recentemente Le Bourgeois Gentilhomme, de Molière/Lully, e as Vésperas de Monteverdi. Em outubro de 2017 trouxe ao Grande Auditório Gulbenkian um programa único de música barroca judaica sefardita. Os projetos para 2018 incluem: a oratória Cain overo il primo omicídio, de A. Scarlatti (CCB); três concertos no Festival de Música Antiga dos Pirenéus (cantatas barrocas portuguesas); o Cancioneiro de Elvas, no Festival Ibérico de Badajoz; um concerto com música do Barroco húngaro no Festival Terras sem Sombra; e dois concertos com as Leçons de Ténèbres de Couperin. www.ludoviceensemble.com

 

Maio 2018