FCG Secção: Música

Karita Mattila

Soprano

Karita Mattila nasceu em Somero, na Finlândia. Estudou na Academia Sibelius de Helsínquia com Liisa Linko-Malmio e trabalhou posteriormente com Vera Rozsa. É uma presença regular nos principais teatros de ópera e festivais internacionais, sob a direção de maestros de renome como James Levine, Colin Davis, Christoph von Dohnányi, Bernard Haitink, Antonio Pappano, Simon Rattle, ou Esa-Pekka Salonen.

O seu repertório de ópera abrange obras de Beethoven, Strauss, Tchaikovsky, Verdi, Puccini, Wagner e Janáček, com especial destaque para as suas atuações em Don Carlos (Paris, Londres e Edimburgo), Elektra (Festival de Salzburgo) A Dama de Espadas e Salome (Ópera Nacional de Paris), Simon Boccanegra (Salzburgo), Don Giovanni (Chicago), e Fidelio (Metropolitan Opera de Nova Iorque). Neste domínio, os destaques da presente temporada incluem as óperas Jenůfa (Kostelnička), na Metropolitan Opera, e Ariadne auf Naxos (Ariadne), na Ópera da Baviera. Para além do seu regresso à Fundação Gulbenkian, onde atuou pela última vez em 2014, com a Orquestra Gulbenkian, apresenta-se também em recital no Wigmore Hall de Londres, na Ópera de Viena, na Ópera de Zurique e no festival Opéra des Nations, em Genebra.

Karita Mattila é também uma personalidade artística importante no âmbito da música contemporânea, colaborando com regularidade em estreias de novas obras como Quatre instants, Mirage, ou o melodrama Emilie, de Kaija Saariaho.

Para além de dois prémios Grammy, para “Melhor gravação de Ópera” – Os mestres cantores de Nuremberga, sob a direção de George Solti (1998), e Jenůfa, com Bernard Haitink (2004) – Karita Mattila figura numa vasta discografia que inclui as Quatro Últimas Canções de R. Strauss, Gurrelieder de Schönberg, ou a Sinfonia n.º 14 de Chostakovitch, sob a direção de Simon Rattle.

Ao longo da sua brilhante carreira, Karita Mattila recebeu numerosos prémios e distinções: em 2005 foi nomeada “Músico do Ano” pela Musical America e em 2003 foi distinguida, em França, com o título de Chevalier des Arts et des Lettres.

 

Abril 2017