Hannu Lintu © Veikko Kähkönen

Hannu Lintu

Maestro

O maestro finlandês Hannu Lintu estudou violoncelo e piano na Academia Sibelius, em Helsínquia, instituição onde mais tarde se formou em direção de orquestra com Jorma Panula. Estudou também com Myung-Whun Chung na Accademia Musicale Chigiana, em Siena. Em 1994 venceu o Concurso Nórdico de Direção, em Bergen.

Presentemente, Hannu Lintu cumpre o oitavo ano como Maestro Principal da Orquestra Sinfónica da Rádio Finlandesa. Em maio de 2019, foi nomeado Maestro Principal da Ópera e Ballet Nacionais da Finlândia, funções que começará a desempenhar a partir de janeiro de 2022. Esta nomeação surgiu na sequência de uma série de colaborações de grande sucesso, incluindo Tristão e Isolda de Wagner (2016), Kullervo de Sibelius (2017) e Wozzeck de Berg (2019). No início de 2020 dirigiu Ariadne auf Naxos de R. Strauss.

Hannu Lintu colabora regularmente com o Festival de Savonlinna, tendo dirigido produções de Otello de Verdi (2018) e de Kullervo de A. Sallinen – em 2017, integrado nas celebrações do centenário da Declaração de Independência da Finlândia. Como maestro convidado, a temporada 2019-2020 incluiu regressos ao convívio com a Orquestra Gulbenkian, as Sinfónicas de Boston e Detroit, a Orquestra de Paris, a Filarmónica da Rádio Holandesa e a Sinfónica da Islândia. Estreou-se à frente das Sinfónicas de Chicago e de Montreal, da Filarmónica de Estrasburgo e da Tonkünstler-Orchester Niederösterreich.

Hannu Lintu realizou gravações para as editoras Ondine, Bis, Naxos, Avie e Hyperion, tendo recebido vários prémios. Em 2019, a gravação dos Concertos para Violino de Béla Bartók, com Christian Tetzlaff, recebeu dois prémios ICMA. Em 2011 foi nomeado para um Grammy na categoria de “Melhor CD de Ópera”. As gravações da Sinfonia n.º 2 de George Enescu, com a Filarmónica de Tampere, e dos Concertos para Violino de Jean Sibelius e de Thomas Adès, com Augustin Hadelich e a Royal Liverpool Philharmonic Orchestra, foram nomeadas para os prémios Gramophone.