Hannu Lintu © Veikko Kähkönen

Hannu Lintu

Maestro

Hannu Lintu é o atual Maestro Principal da Ópera e Ballet Nacionais da Finlândia. Esta nomeação surgiu na sequência de uma série de colaborações de grande sucesso – incluindo Tristão e Isolda de Wagner (2016), Kullervo de Sibelius (2017), Wozzeck de Berg (2019) e Ariadne of Naxos de R. Strauss (2020) – refletindo uma importante mudança na atividade do mesto finlandês, agora mais focado na ópera. A presente temporada inclui a direção de Cavalleria Rusticana de Mascagni e I Pagliacci de Leoncavallo. Antes de assumir as novas funções, Hannu Lintu cumpriu oito anos como Maestro Principal da Orquestra Sinfónica da Rádio Finlandesa. O início da temporada incluiu ainda a estreia do maestro com companhia da Ópera Nacional de Paris, tendo dirigido O Navio Fantasma de Wagner.

Hannu Lintu colabora regularmente com o Festival de Savonlinna, onde dirigiu produções de Otello de Verdi (2018) e de Kullervo de A. Sallinen (em 2017, integrado nas celebrações do centenário da Declaração de Independência da Finlândia).

Como maestro convidado, a temporada 2021-2022 inclui novas colaborações com a Orquestra Gulbenkian, a Sinfónica de Chicago, a Filarmónica de Londres, a Tonkünstler-Orchester Niederösterreich e a Filarmónica de Tampere. Outros compromisso incluem a Filarmónica da Rádio dos Países Baixos, a Orchestre de la Suisse Romande, a Sinfónica Nacional de Taiwan, a Deutsches Symphonie-Orchester Berlin, a Filarmónica Nacional Russa e a Filarmónica da Radio France.

Hannu Lintu realizou várias gravações para as editoras Ondine, Bis, Naxos, Avie e Hyperion. Os lançamentos recentes incluem: os cinco Concertos para Piano de Beethoven, com Stephen Hough; Die Soldaten e o Concerto para Violino de Bernd Alois Zimmermann, com Leila Josefowicz; as Sinfonias n.º 1 a n.º 4 de Lutosławski e obras de Kaija Saariaho, com Gerald Finley e Xavier de Maistre, todas com a Orquestra Sinfónica da Rádio Finlandesa. Recebeu vários prémios, incluindo dois ICMA para os Concertos para Violino de Béla Bartók, com Christian Tetzlaff (2019), e para a gravação de obras de Sibelius, com Anne Sofie von Otter (2018). Em 2021 foram nomeadas para os Grammy, na categoria “Melhor Performance Orquestral”, as Sinfonias n.º 2 e n.º 3 de Lutosławski. Em 2011 foi também nomeada para um Grammy, na categoria de “Melhor CD de Ópera” a gravação de Kaivos, de Einojuhani. Rautavaara. As gravações da Sinfonia n.º 2 de George Enescu, com a Filarmónica de Tampere, e dos Concertos para Violino de Jean Sibelius e de Thomas Adès, com Augustin Hadelich e a Royal Liverpool Philharmonic Orchestra, foram nomeadas para os prémios Gramophone.

Hannu Lintu estudou violoncelo e piano na Academia Sibelius, em Helsínquia, instituição onde mais tarde se formou em direção de orquestra com Jorma Panula. Estudou também com Myung-Whun Chung na Accademia Musicale Chigiana, em Siena. Em 1994 venceu o Concurso Nórdico de Direção de Orquestra, em Bergen.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.