Fabio Trümpy
Fabio Trümpy © Sarah Wijzenbeek

Fabio Trümpy

Tenor

O tenor suíço Fabio Trümpy estudou inicialmente com Margreet Honig em Amesterdão. Integrou o Dutch National Opera Studio, recebeu o “Prix des Amis du Festival d’Art Lyrique”, em Aix-en-Provence, e foi membro do Teatro de Ópera de Zurique.

Estreou-se no Teatro Bolshoi, em Moscovo, no papel de Oronte, numa nova produção de Alcina, de Händel, sob a direção de Andrea Marcon. Na sua estreia na Ópera Estadual de Hamburgo cantou o papel de Telemaco, em Il ritorno d’Ulisse in patria de Monteverdi.

Nos destaques das suas atuações mais recentes incluem-se: Don Ottavio (Don Giovanni de Mozart), no Festival de Beaune, com o maestro Jérémie Rhorer; Requiem de Mozart, com Les Musiciens du Louvre e Marc Minkowski; Stabat Mater de Schubert, com a Filarmónica da Rádio Holandesa e James Gaffigan; o papel principal em El Prometeo, de Antonio Draghi, na Ópera de Dijon, com Leonardo García Alarcón; Tamino (A flauta Mágica de Mozart) no Spoleto Festival USA; Camille (A Viúva Alegre de Léhar) na Ópera Nacional da Lorena (Nancy); Pane (La Calisto de Cavalli) no Grande Teatro de Genebra; e Pastor (Orfeo de Monteverdi) no Festival de Baden-Baden, na Ópera de Lille e na Ópera Estadual de Berlim, com a Freiburger Barockorchester e o maestro Pablo Heras-Casado.

Colaborou com a Orquestra do Século XVIII em concertos das Paixões de Bach, de As Estações de J. Haydn e ainda nas óperas Fidelio (Jaquino) de Beethoven e As bodas de Figaro (Basilio e Don Curzio) de Mozart.

Atualização em 30 outubro 2019

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.