Domingos Ribeiro

Contrabaixo

Domingos Ribeiro nasceu em Macau em 1992. Iniciou os seus estudos musicais com Cristina Costa no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Licenciou-se em 2013 na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Manuel Rego. Estudou posteriormente na Escuela Superior de Música Reina Sofia, em Madrid, com Duncan McTier e Antonio García Araque, enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundación Albeniz. Foi academista da Orquestra Sinfónica da Rádio da Baviera, orquestra com a qual continua a colaborar, trabalhando regularmente com Philipp Stubenrauch, Wies de Boevé, Heinrich Braun e Alexandra Scott. Complementou também o seu desenvolvimento frequentando masterclasses ou aulas particulares com Janne Saksala, Matthew McDonald, Rinat Ibragimov, Catalin Rotaru, Petru Iuga, Edicson Ruiz, Benedikt Hubner, Gary Karr, Iouri Axenov, Wolfgang Güttler, Hans Adler e Tom Goodman, entre outros.

Participou em vários estágios de orquestra para jovens, destacando-se a Orchestre de Jeunes de la Méditerranée e a European Union Youth Orchestra, tendo sido Chefe de Naipe em ambas. Foi reforço convidado na Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música em 2014, da Orquesta Nacional de España em 2016 e na Orquestra do Festival de Budapeste em 2017. Para além das orquestras já mencionadas, colaborou também com a Filarmónica de Munique, a Orquestra Metropolitana de Lisboa e a Orquestra XXI, entre outras. Trabalhou com maestros como Mariss Janson, Bernard Haitink, Simon Rattle, Kirill Petrenko, Yannick Nézet-Séguin, Riccardo Muti, John Eliot Gardiner, Franz Welser-Möst, Kent Nagano, Ton Koopman, David Afkham, Krzysztof Urbański, Christian Zacharias, Alain Altinoglu, Lahav Shani, Matthias Pintscher, Christian Macelaru, Joana Carneiro, Susanna Malkki, Carlo Rizzi, Peter Eötvös, Bertrand de Billy, Pietari Inkinen, Juanjo Mena, Peter Stark, Vasili Petrenko, Lawrence Foster, Michael Zilm, Brad Lubman, Michael Sanderling, Enrico Pomàrico e James Judd, Olari Elts, entre outros.

Como solista, atuou com a Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Música de Lisboa e com a Camerata Gareguin Arantounian. Venceu a primeira edição do Concurso Vasco Barbosa, em 2015, tendo-se apresentado a solo no Centro Cultural de Belém, com a Camerata Atlântica, e gravado para a RDP – Antena 2. Em 2017 foi selecionado para o lugar de Chefe de Naipe dos Contrabaixos – 1.º Solista – na Orquestra Gulbenkian, função que desempenha atualmente. Frequenta o 2.º ano de Mestrado em Ensino da Música na Escola Superior de Música de Lisboa. É regularmente convidado para orientar masterclasses e projetos de música de câmara.

Outubro 2018

Atualização em 16 Outubro 2018