Cecília Rodrigues

Soprano

Cecília Rodrigues estudou no Instituto Gregoriano de Lisboa com Elsa Cortez (Piano e Técnica Vocal), tendo também integrado o Coro de Câmara, sob a direção de Armando Possante. Posteriormente ingressou na Escola de Música do Conservatório Nacional, onde concluiu o Curso de Canto com Manuela de Sá. Completou o 2.º ano da Licenciatura em Canto da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, com Rui Taveira, concluindo a mesma na Escola Superior de Música de Lisboa com Luís Madureira, onde frequenta atualmente o Mestrado em Ensino da Música. Participou em vários projetos do Atelier de Ópera e em master-classes e aulas particulares com João Paulo Santos, Lucia Mazzaria, David Santos, Elisabete Matos, Milagros Poblador, entre outros.

Foi premiada em vários concursos, incluindo o 2.º Prémio no Concurso Internacional de Santa Cecília, o Prémio de Interpretação de Música Portuguesa no Concurso Internacional Cidade do Fundão (2013), o 1.º Prémio e o Prémio Interpretação de Música Portuguesa no Concurso Internacional Cidade de Almada (2015) e o 1.º Prémio de Canto no Prémio Jovens Músicos – RTP / Antena 2 (2017).

Cecília Rodrigues apresenta-se regularmente como solista em palcos nacionais, contando com participações em vários concertos a solo com a ESML e no festival “Sons da Água” (2016, 2017 e 2018), dirigida por António Costa. Colaborou com o Grupo Vocal Olisipo num concerto dedicado a Monteverdi no CCB. Em 2018 realizou um recital com o Maestro João Paulo Santos no Festival Serões Musicais no Palácio da Pena, em Sintra, programa que gravou posteriormente para a Antena 2. Foi também solista no Stabat Mater de Pergolesi e no Magnificat em Talha Dourada de Eurico Carrapatoso, com o Colégio Moderno. Interpretou o papel de Bess, em Porgy and Bess de Gershwin, no Festival do Colégio, com o Coral de São José, nos Açores, em julho de 2018, e no 9.º Festival de Órgão da Madeira, num recital para canto e órgão de Música Romântica Inglesa, com Sérgio Silva, em outubro de 2018. Em Janeiro de 2019, deu um recital de Música Romântica Francesa no Museu Calouste Gulbenkian, inserido na exposição Pose e Variações, com o Maestro João Paulo Santos.

Cecília Rodrigues integrou o Coro da Casa da Música. Integra atualmente o Coro Gulbenkian, com o qual também se apresentou como solista num concerto dedicado a Gershwin (2017) e em pequenos solos da Paixão segundo São Mateus de J. S. Bach (2018).

 

Fevereiro 2019

Atualização em 14 Março 2019