Hamlet

Met Opera Live in HD

Slider de Eventos


Programa

New York Metropolitan Opera Orchestra
Nicholas Carter Maestro
Neil Armfield Encenação
Ralph Myers Cenografia
Alice Babidge Figurinos
Jon Clark Desenho de Luz
Denni Sayers Direção de Cena

Brenda Rae Soprano
Sarah Connolly Meio-Soprano
Aryeh Nussbaum Cohen Contratenor
Christopher Lowrey Contratenor
Allan Clayton Tenor
David Butt Philip Tenor
William Burden Tenor
Jacques Imbrailo Barítono
Rod Gilfry Barítono
John Relyea Baixo-Barítono

Por ordem de entrada em cena:

Allan Clayton Hamlet
Rod Gilfry Claúdio
David Butt Philip Laertes
Brenda Era Ofélia
William Burden Polónio
Jacques Imbrailo Horácio
Justin Austin Marcelo
Sarah Connolly Gertrudes
John Relyea Fantasma
Aryeh Nussbaum Cohen Rosencrantz
Christopher Lowrey Guildenstern

Atores
John Relyea, Manase Latu, Chad Shelton, Justin Austin

John Relyea Coveiro

Vozes fora do palco
Monica Dewey, Chanáe Curtis, Tesia Kwarteng, Megan Moore, John Matthew Myers, Christian Mark Gibbs, Benjamin Sieverding, Wm. Clay Thompson

Veli Kujala Acordeão

 

Brett Dean
Hamlet
Ópera em dois atos

Libreto de Matthew Jocelyn, baseado na peça de William Shakespeare.

ATO I
Elsinore, Dinamarca.
O rei Hamlet morreu e é chorado pelo seu filho, o príncipe Hamlet da Dinamarca. Ao funeral do rei sucede-se, em pouco tempo, o casamento da sua viúva, Gertrudes, com Cláudio, irmão do rei. Hamlet está profundamente perturbado com a morte prematura do seu pai e com o casamento precipitado da sua mãe. O seu estado é agravado pelo aparecimento do fantasma do rei Hamlet, informando-o de que foi de facto assassinado pelo seu irmão, agora marido de Gertrudes e rei da Dinamarca. O rei morto pede ao seu filho que vingue a sua morte matando Cláudio.

Sem saber o que fazer e comportando-se erraticamente, Hamlet rejeita Ofélia, a sua alma gémea e amante, e dispensa os seus antigos colegas Rosencrantz e Guildenstern, a quem Cláudio convocou para Elsinore para ajudarem a descobrir a causa da aparente loucura de Hamlet.

Um grupo de atores chega a Elsinore. Hamlet pede que eles dramatizem o assassinato do rei Hamlet pelo seu irmão. Cláudio reage violentamente à representação, o que, aos olhos de Hamlet, confirma a culpa do seu padrasto. Chamado ao quarto da sua mãe para explicar as suas ações, Hamlet encontra Cláudio em profunda oração, no entanto não é capaz de o matar.

Estando já com a sua mãe, Hamlet ouve um grito abafado e, julgando que Cláudio o espia, trespassa uma tapeçaria com a sua espada e mata o desavisado Polónio, pai de Ofélia. Hamlet repreende então a sua mãe pela sua falta de vergonha e libertinagem. O fantasma do seu pai reaparece e lembra a Hamlet que a sua principal missão é vingar a sua morte.

ATO II
Laertes, filho de Polónio, regressa a Elsinore para vingar a morte do seu pai e ameaça Cláudio e o seu reinado. Cláudio consegue acalmar a violência de Laertes convencendo-o de que Hamlet é o culpado: juntos, Cláudio e Laertes conspiram o seu assassínio.

Ofélia surge, aparentemente enlouquecida pela rejeição de Hamlet e pela morte do seu pai, o que ajuda a aumentar o desejo de vingança de Laertes, tanto mais que, momentos depois, a própria Ofélia morre – afoga-se num ribeiro próximo.

Depois de saberem do sucedido, Hamlet e o seu amigo Horácio comparecem no funeral de Ophelia e Hamlet provoca Laertes. Através da intermediação de Rosencrantz e Guildenstern, e de acordo com o plano arquitetado com Cláudio, Laertes desafia Hamlet para um duelo. Hamlet aceita o desafio. Sucedem-se várias mortes.

Sinopse de Matthew Jocelyn, reproduzida com a permissão de Glyndebourne Productions Ltd. e Met Opera

 


Mecenas Principal Gulbenkian Música

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.