A Tesoura

N.º Inv.
ADD171
Data
c. 1984
Materiais e técnicas
Tinta acrílica sobre papel
Medidas
51 x 50,5 cm
Proveniência
Col. José Pedro Paço d'Arcos
Inscrições

«A. Dacosta»
[frente, canto inferior direito]

Exposta pela primeira vez na exposição antológica de António Dacosta, que teve lugar em Lisboa no Centro de Arte Moderna (atual Museu Calouste Gulbenkian – Coleção Moderna) e no Porto, na Casa de Serralves, no ano de 1988, esta obra pertencia à Galeria 111, segundo o catálogo. Posteriormente, foi adquirida a esta galeria por José Pedro Paço d’Arcos.

Nesta obra, o título chama a atenção do espetador para a tesoura, que colocada na sombra contrasta com a figura feminina, bastante iluminada, que sopra uma língua de sogra, elemento retratado anteriormente por Dacosta em obras como Pós de Perlimpimpim [ADP161] e Dois Limões em Férias [ADP157]. Em «A Antítese e a Calma», José Luís Porfírio refere-se a esta obra como «uma alegoria nítida à brevidade dos prazeres da vida» (António Dacosta 1914 | 2014, 2014).


Exposições


Bibliografia


Antologia Crítica


Obras Relacionadas

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.