Figura feminina (Retrato de Ariane Pulver)

N.º Inv.
ADP13
Data
1940
Materiais e técnicas
Óleo sobre tela
Medidas
54,5 x 43,5 cm
Proveniência
Col. Helena Ricca
Inscrições

«A. Dacosta
40»
[frente, canto inferior direito]

Esta pintura chegou a ser exposta pela Galeria Antiks com o título Figura Feminina, no Ipanema Park Hotel do Porto em dezembro de 1997, sendo depois adquirida pelo arquiteto Agostinho Ricca, pertencendo atualmente à sua filha Helena Ricca.

Apesar de carecer de confirmação, pelas características e relação com outros retratos do mesmo ano, há a possibilidade de este retrato de figura feminina pertencer ao de Ariane Pulver, exposto em 1941 na «Exposição de Arte Moderna do SPN», a primeira exposição do Secretariado de António Ferro em que Dacosta participou. Ariane Pulver (c. 1917-1950) foi uma dançarina moderna suíça, que passara em Portugal por volta de 1940 e 1941. Tinha casado no ano anterior com o bailarino, coreógrafo e empresário Paul Szilard (1913-2013), de origem húngara, e logo se constituíram como um par de bailarinos. O casal fixara-se temporariamente em Portugal de passagem para os Estados Unidos. Paul Szilard e Ariane Pulver apresentaram-se em maio de 1940 no São Carlos (onde Szilard chegaria a dar aulas de dança), na mesma altura em que a Companhia Portuguesa de Bailado Verde-Gaio apresentava os seus primeiros trabalhos. Em 1941, Szilard apresentaria algumas das suas coreografias, tais como Carnaval, de Schuman com orquestração de Luís de Freitas Branco e cenários de Roberto Araújo; Sonatina, com música de Ernesto Halffter e cenários de Almada Negreiros; e Litoral, de Afonso Correia Leite e D. Francisco de Melo Breyner, com cenários de Maria Keil. Sabe-se que Paul Szilard estaria de novo em Lisboa no ano de 1949, sendo apresentado no Coliseu dos Recreios o seu bailado surrealista Mefisto-Valsa, com cenários e figurinos de Almada Negreiros.

Na mesma altura seria retratado a desenho por Eduardo Malta. Também se conhece um Retrato da Bailarina Ariane Pulver num busto em mármore realizado por António Duarte em 1940.


Exposições


Bibliografia

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.