Textos Filosóficos IV – Diálogo sobre o Destino (de Fato)

Marco Túlio Cícero

Cícero planificou os seus escritos filosóficos de tal forma que os dedicados  aos Problemas da Filosofia foram produzidos segundo a estrutura tripartida adotada com rigor pelos Estoicos: Lógica, sobre a questão do conhecimento e sua expressão na linguagem; Ética, nas versões teórica e prática, sobre os problemas do bem e do mal, por um lado, e, por outro, sobre o modo como o homem deve comportar-se quanto às dificuldades suscitadas pela condição humana; e, finalmente, a Física, em que é abordado um vasto conjunto de matérias do âmbito físico (isto é, das ciências naturais, que não interessam particularmente a Cícero) ou metafísico-teológico, que abarcam desde a estrutura do universo à existência e natureza dos deuses e à sua eventual relação com o mundo, em geral, e com a espécie humana em particular.

A esta parte “científica” da filosofia dedicou o Arpinate três textos: A Natureza dos Deuses, em três livros, nos quais é exposta a posição dos Epicuristas, no livro I, bem como a dos Estoicos, nos livros II e III, sobre a questão da existência dos deuses e da relação do mundo divino com o mundo humano; A Adivinhação, em dois livros, em que, partindo da relação entre os dois mundos, divino e humano, e do interesse dos deuses pelos humanos, é discutida a possibilidade de os homens comunicarem com os deuses e destes com os humanos.

O terceiro texto, o De fato, ou Diálogo sobre o Destino, apresenta-se como a sucessão e conclusão das matérias discutidas nestes dois diálogos precedentes: avaliação das teses epicurista – os deuses existem mas não se interessam pelo mundo, e menos ainda pelos humanos – e estoica – os deuses não só existem, como muito se interessam pelos humanos, com os quais comunicam por meio da adivinhação, prática defendida por Quinto Cícero e criticada pelo irmão Marco, de acordo com a sua posição teórica como académico céptico.

De Fato constitui assim uma pertinente conclusão desta problemática a que podemos chamar metafísica, ou teológica (no sentido em que este último termo pode aplicar-se ao conjunto de problemas situados “para além da física”, significando o que lhe atribui Aristóteles quando ocasionalmente usa o termo “teologia”.

 

(Da introdução de J. A. Segurado e Campos)

Ficha técnica

Idioma:
Português
Editado:
Lisboa, 2021
Entidade
Fundação Calouste Gulbenkian
Dimensões:
220 mm x 140 mm
Capa:
Encadernado

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.