Revista #204

Esta é uma edição muito viajada, com paragens na Sede da Fundação, mas com passagens por outros cantos da cidade e do País e até com uma viagem transatlântica.

Comecemos por aquilo que destacamos, dentro de casa, em Lisboa: acabou de abrir ao público a exposição que comemora não só os 130 anos d’Os Maias mas também todas as outras obras (e a vida) de Eça de Queirós. É uma mostra realizada em colaboração com a Fundação Eça de Queiroz e na qual serão apresentadas muitas formas de Eça: o homem que se mostrou através da palavra escrita em livros, artigos de jornal e cartas, mas também as caricaturas, fotografias e música da época, quadros de Paula Rego e Júlio Pomar (alusivos à obra queirosiana), ilustrações variadas, fotogramas, filmes… um programa cheio de humor e ironia, que será complementado por uma programação paralela preenchida por conversas, um ciclo de cinema e até através de jantares queirosianos idealizados pelo Chef Miguel Castro e Silva. Ainda por Lisboa – pelas ruas das Avenidas Novas e no interior da Coleção Moderna – mostra-se o resultado do projeto 24 Estórias. Entre vizinhos, que envolveu 19 octogenários (todos habitantes da freguesia), duas mediadoras do Museu, três assistentes sociais e uma artista plástica. E ainda os concertos mais natalícios.

Digno de nota é o facto de, a partir deste mês, a coleção Gulbenkian passar a estar disponível também fora de portas, dando assim início a um percurso de itinerância que faz lembrar o tempo em que uma carrinha levava uma pequena biblioteca a calcorrear o país. Obras do Museu Gulbenkian passarão, assim, por Bragança, Sabrosa e Portimão, enquanto o Coro e a Orquestra se vão mostrar a outros cantos do território nacional.

Capaz de levar obras de arte por esse Portugal fora, nesta edição da Newsletter também se conta como a Gulbenkian continua a apoiar o cinema português e o mostra, dentro e fora de portas: até 10 de dezembro, às sextas, sábados e domingos, há exibição de cinema português na Fundação; conta-se também como Laura Seixas, a jovem realizadora portuguesa que foi ao Vermont com o apoio da Gulbenkian, voltou do outro lado do Atlântico cheia de contactos e projetos para o futuro.

Mas as notícias não se ficam por aqui. Folheie e Newsletter e descubra que artista se vai instalar no Instituto Gulbenkian de Ciência ou o que anda a Fundação a fazer por Cabo Verde.

Download Newsletter (PDF 1MB)

 

Atualização em 04 Dezembro 2018