Obra completa II: História da cultura: 1948-1955

Joaquim de Carvalho

Neste tomo insere-se um outro contributo sobre o rei-bibliófilo, D. Manuel II, que alarga o campo de pesquisa às livrarias reais portuguesas. E põe em relevo o patriotismo que moveu a atividade bibliográfica de D. Manuel II e o seu esforço no sentido de reunir uma biblioteca incomparável de livros portugueses antigos.

Uma digressão sintética acerca das livrarias reais portuguesas evidencia que foi, a partir de D. João I, que a biblioteca pessoal do monarca, a livraria real, passou a ser livraria da Coroa, e, portanto, do Estado. Não temos elementos que nos permitam poder afirmar se a livraria da Coroa teve, como no caso da Biblioteca Vaticana, a partir dos fins do século XV, características, já, de biblioteca pública, pelo menos através do acesso a leitores não adstritos à própria Cúria. Mas não há dúvidas de que os livros deixam de pertencer a uma entidade só – no caso sujeito o rei – para se tornarem pertença institucional.

Joaquim de Carvalho conhecia, como poucos, os documentos originais e os cimélios da nossa cultura, assim como as técnicas do seu estudo, mas era, além disso, um grandíssimo historiador, um pensador e um crítico de textos.

O autor dominou, como poucos no século XX, a história da cultura portuguesa, da Idade Média até ao século XX. Possuía uma mestria invulgar dos mecanismos que regulavam as instituições medievais de cultura e o seu conhecimento crítico. Mas não era ex professo um estudioso das instituições medievais. O seu interesse centrava-se predominantemente na cultura e na civilização modernas, ou o que, no pensamento clássico e medieval, já aparecia como moderno. Não obstante, sublinha-se a cautela com que procedia no campo documental das fontes. Apontam-se dois trabalhos fundamentais: «A propósito da atribuição do Secreto de los Secretos de Astrologia ao Infante D. Henrique» e «Sobre a erudição de Gomes Eanes de Zurara». Trata-se de estudos cujo tema se situa ainda em período medieval, embora já no limiar da Idade Moderna.

 

(Da introdução de José V. de Pina Martins)

Ficha técnica

Outras Responsabilidades:

Pref. de José V. de Pina Martins

Edição:
1ª ed.
Coordenação editorial:
Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço de Educação
Editado:
Lisboa, 1983
Páginas:
Tomo II, vol. 4,738 p.
ISBN:
972-31-0732-5

Utilização de Cookies

Definições de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.
Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Definições de cookies" abaixo.