Temporada 21/22

Janeiro a junho

Na segunda parte da Temporada, a Gulbenkian Música recebe mais de 60 concertos, protagonizados pela Orquestra e Coro Gulbenkian e por alguns dos maiores intérpretes da atualidade. Regressam também as assinaturas dos ciclos de Piano, Met Opera e Concertos de Domingo

Agenda Programa

Orquestra Gulbenkian

Na companhia de alguns dos maiores intérpretes da atualidade, os agrupamentos residentes da Fundação apresentam-se em doze programas que se estendem desde a ópera e das grandes obras corais-sinfónicas à estreia de novas obras.

Ver concertos

Concertos de Domingo

Pensados para a fruição da música em ambiente familiar e descontraído, estes concertos comentados da Orquestra Gulbenkian regressam em três atrativos programas com sessão dupla.

Ver concertos

Ciclo de Piano

Intérpretes lendários como Mitsuko Uchida e Grigory Sokolov apresentam-se esta temporada, que contará também com jovens pianistas virtuosos como Behzod Abduraimov, Alexandre Kantorow e Célimène Daudet.

Ver concertos

Met Opera Live em HD

Com a reabertura da Metropolitan Opera de Nova Iorque, regressam também as transmissões em alta definição de algumas das maiores produções de ópera do mundo, como Rigolleto, Turandot, Cinderella ou Don Carlos, entre outras.

Ver transmissões

Festival Quartetos de Cordas

Em parceria com a Bienal de Quartetos de Cordas da Philharmonie de Paris, o Festival dos Quartetos de Cordas apresenta, ao longo de um fim-de-semana, algumas das mais conceituadas formações da atualidade.

Ver concertos

Rising Stars

Um fim-de-semana de portas abertas com concertos de entrada gratuita, para ouvir as jovens estrelas em ascensão que foram selecionadas pela ECHO – rede de salas de concerto europeias que a Gulbenkian Música integra.

Ver concertos

Ainda se lembra dos concertos realizados sem a imposição de restrições nas distâncias entre os músicos da orquestra e sem limitações no número de cantores no palco ou no repertório a ser apresentado? Foi assim até março de 2020, altura em que a vida musical começou a sofrer. Muitos concertos tiveram de ser cancelados ou adiados para outras datas.

Agradecemos a dedicação de todas as pessoas que se deslocam para assistir aos concertos neste contexto. Agora, o jejum musical parece ter acabado, o público ocupa de novo todos os lugares e os músicos têm um âmbito mais alargado de escolha do repertório.

A segunda parte da nossa Temporada 21/22, de janeiro a junho, foi planeada com pensamento positivo: em função do número recorde de cidadãos já vacinados, queremos recolocar o grande património musical ao alcance do nosso estimado público numa das mais importantes salas de concertos do mundo, o Grande Auditório Gulbenkian.

Janeiro será um mês versátil para os amantes da música. Durante a primeira semana, a estrela francesa Julie Fuchs iluminará o muito esperado Concerto de Ano Novo com a sua bela voz de soprano; Jean-Guihen Queyras tocará as Suites para Violoncelo solo de J. S. Bach em diálogo com a sublime dança de Anne Teresa de Keersmaeker. Um fim-de-semana será dedicado aos Rising Stars, uma celebração de jovens talentos oriundos de vários países da Europa; outro à Bienal de Quartetos de Cordas: seis quartetos de diferentes proveniências interpretarão obras-primas musicais escritas para dois violinos, viola e violoncelo pelos grandes compositores da história da música clássica.

Em fevereiro atuaremos no concerto de abertura oficial da Saison croisée Portugal – France, na Philharmonie de Paris, a mais versátil sala de concertos da Europa. Naturalmente, antes da partida, a Orquestra Gulbenkian apresentará ao público em Lisboa o respetivo programa, que inclui o Concerto para Piano n.º 2 de Chopin, interpretado por Maria João Pires.

Os nossos concertos continuarão a oferecer programas variados: Coro e Orquestra, sob a direção de maestros como Hannu Lintu, Andris Poga, Giancarlo Guerrero ou Gábor Káli e, para terminar a temporada, Lorenzo Viotti com o imponente Requiem de Verdi. A variedade do repertório estará em linha com a diversidade de concertos, desde as grandes obras-primas de J. S. Bach ao Concerto para violino de Alban Berg, passando por R. Strauss, Bernstein, Fauré e Chick Corea.

Aguardamos com expectativa para lhe dar as boas-vindas e para o acompanhar na descoberta desta nova etapa da Gulbenkian Música!

Risto Nieminen
Diretor da Gulbenkian Música


De acordo com a Resolução do Conselho de Ministros de 7 de janeiro de 2022, para acesso ao Grande Auditório é obrigatória a apresentação do Certificado Digital COVID da UE, na modalidade de vacinação, testagem ou recuperação. Não serão aceites autotestes. Conheça as condições de acesso e consulte regularmente as orientações da DGS.