2 Junho 2020

O regresso da Orquestra Gulbenkian

Durante o mês de junho, os músicos da Orquestra Gulbenkian atuam em pequenas formações, numa série de recitais de música de câmara que serão transmitidos em direto ou diferido nos canais digitais da Fundação.

Solistas OG
Solistas da Orquestra Gulbenkian© Pedro Pina - Gulbenkian Música

Num altura em que  se estudam as melhores práticas para que o Grande Auditório possa reabrir ao público em segurança, os músicos da Orquestra Gulbenkian regressaram aos ensaios depois de uma paragem forçada de mais de dois meses.

Os ensaios têm em vista a preparação de concertos da Orquestra Gulbenkian no palco do Grande Auditório que serão transmitidos semanalmente nos canais digitais da Fundação. A Orquestra vai atuar em pequenas formações de solistas ou em formato de orquestra de câmara, apresentando um conjunto de obras  do reportório clássico.

A primeira transmissão terá lugar no dia 3 de junho, quarta-feira, às 19h, com o Octeto para Cordas, em Mi bemol maior, op. 20 de Felix Mendelssohn interpretado por um conjunto de solistas da Orquestra Gulbenkian formado por Francisco Lima Santos, Anna Paliwoda, Alexandra Mendes, Cecília Branco, Lu Zheng, Leonor Fleming, Marco Pereira e Martin Henneken.

Segue-se, no 10 junho, às 19h,  o Septeto para Sopros e Cordas, em Mi bemol maior, op. 20 de Ludwig van Beethoven tocado por Maria Balbi, Leonor Braga Santos, Varoujan Bartikian, Manuel Rego, Iva Barbosa, Ricardo Ramos e Kenneth Best.

Em direto, a Orquestra Gulbenkian, composta por 27 músicos e dirigida por José Eduardo Gomes, dará a ouvir, no dia 18 de junho, às 21h,  a Abertura da ópera Armida e a Sinfonia n.º 83, em Sol menor, Hob.I:83, A galinha de Joseph Haydn.

Na semana seguinte, dia 25 de junho, às 21h, também em direto, o Ensemble de Metais da Orquestra Gulbenkian, sob a direção do maestro Diogo Costa tocará obras de Bach, Gershwin, Piazzolla e Chostakovitch, entre outros.

A próxima temporada Gulbenkian Música será anunciada na primeira quinzena de setembro. A programação inicialmente prevista foi redesenhada para se adaptar às restrições relativas às deslocações de artistas estrangeiros e ao número necessariamente mais reduzido de músicos em palco.