• 1917
  • TelaEspelho, Madeira, Cola e Areia
  • Óleo e Colagem
  • Inv. 77P9
  • Pintura
  • Arte Portuguesa

Amadeo de Souza-Cardoso

Título desconhecido (Entrada)

Como contar uma história em pintura sem deixar que a pintura se converta num mero meio? Como contar uma história que seja pintura, que dê corpo às possibilidades, às questões, ao pensamento, que constituem o campo da pintura nas décadas iniciais do século XX?

 

Entrada ensaia uma resposta a estas questões. Uma boa resposta. Por um lado, incorpora uma série de signos legíveis como referenciando a “entrada” dos Estados Unidos e de Portugal na Grande Guerra, incluindo o episódio da extraordinária acusação de espionagem que, nesse contexto, recaiu sobre Sonia Delaunay (episódio em que Amadeo esteve fortemente envolvido, responsável maior que foi pela defesa de Sonia). Remonta-se assim a Abril de 1916, quando um denunciador dá como certa, a troco de 3000 francos de recompensa, a passagem de informação encriptada por Sonia aos submarinos alemães situados ao largo do Atlântico a partir dos célebres "discos simultâneos". Lá estão na tela de Amadeo a torre e o periscópio de um submarino com as cores alemãs – ambos enquadrados pelo jacto de luz que nasce no centro da composição –, a sugestão de um interior, iluminado por uma lâmpada eléctrica Wotan e separado da escuridão nocturna pelas linhas horizontais de uma persiana dourada. Lá estão os discos de cor que, partindo das investigações órficas de Robert Delaunay, a pintura de Sónia, tal como a do próprio Amadeo, tinham incorporado. E mesmo os números que Amadeo inscreve no topo da tela parecem remeter para a soma atribuível ao acusador. Lá está finalmente, e aqui recupero a menção ao jacto de luz central, o perfil do transatlântico Lusitania – identificável a partir das cores da bandeira nacional pintadas sobre um rectângulo de vidro incrustado –, com as suas imponentes quatro torres (duas pintadas, as restantes duas evocadas com o número 2) afundado por um submarino alemão, num episódio trágico que despoletou a intervenção militar dos EUA na Guerra.

 

Por outro lado, e decisivamente, estes elementos-fragmentos não compõem uma mera crónica. Eles integram uma obra que também assimila um conjunto significativo de outros elementos: signos indecifráveis (ou quase indecifráveis) no contexto dos episódios mencionados, mas recorrentes nas obras de Amadeo mais directamente ligadas ao legado do cubismo (a viola, as naturezas-mortas, os pochoirs, os papiers collés); e integram uma obra que é, antes de mais, uma pintura. Quer isto dizer que, embora não prescinda da possibilidade de contar histórias, Amadeo não abandona a dimensão essencialmente pictural da pintura.

 

Nesta tela, os planos, as técnicas e as texturas em que as cores ganham espessura (em empastelamentos ou pela mistura de areias nas tintas) variam numa lógica de acumulação que não deixa nenhum vazio e que admite, para além disso, cortes, sobreposições e ocultações desses mesmos planos. As relações positivas e as oposições que entre si estabelecem planos e signos reporta-nos, como aliás a maioria das telas produzidas neste período final da vida de Amadeo, para a assimilação do cubismo não como estilo estabelecido, mas como problemática aberta sobre o sentido e as possibilidades da representação e da pintura.

 

 

JCL

 

 

TipoValorUnidadesParte
Altura93,5cm
Largura75,5cm
Tipoassinado
Texto"amadeo de souza c ardoso"
Posiçãoqie, mais para o meio da tela
TipoAquisição
Data1977
Amadeo de Souza-Cardoso, 1887-1918
Lisboa, Artis, 1960
Monografia
História da Arte Ocidental, (1780-1980)
Lisboa, Livros Horizonte, 1987
Monografia
Retrospective de l'Oeuvre de amadeo de souza cardoso
Paris, Galerie Briant-Róbert, 1925
Catálogo
amadeo de souza cardoso
Paris, Casa de Portugal, 1958
Catálogo
amadeo de souza-cardoso
Lisboa, SNI, 1959
Catálogo
Artistas portugueses na V Bienal de S. Paulo
São Paulo, Museu de Arte Moderna, 1959
Catálogo
Art portugais: peinture et sculpture du naturalisme à nos jours
Bruxelles, Palais des Beaux-Arts, 1967
Catálogo
XI Bienal de São Paulo
São Paulo, Museu de Arte Contemporânea, 1971
Catálogo
Sónia e Robert Delaunay em Porugal e seus amigos Eduardo Viana, Amadeo de Souza-Cardoso, José Pacheco, Almada Negreiros
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1972
Catálogo
Pintura portuguesa de hoy - abstractos y neofigurativos
Salamanca, Universidad de Salamanca, 1973
Catálogo
Os pioneiros da arte moderna portuguesa: exposição evocativa dedicada ao Congresso Internacional AICA na SNBA
Lisboa, SNBA, 1976
Catálogo
Arte Portuguesa Contemporânea
Brasilia, [s.n.], 1976
Catálogo
Portuguese art since 1910: The Diploma Galleries
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1978
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso : a primeira descoberta de Portugal na Europa no século XX
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna, 1983
Catálogo
Roteiro do Centro de Arte Moderna
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 1985
Roteiro
Le XXème au Portugal
Bruxelles, Centre Albert Borschette, 1986
Catálogo
Arte Contemporáneo Portugués
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 1987
Catálogo de exposição
Amadeo
Roma, Companhia de Seguros Bonança, 1988
Catálogo
Amadeo de Souza Cardoso, 1887-1918
Bruxelles, Europália, 1991
Catálogo
Amadeo de Souza Cardoso, 1887-1918
Porto, Fundação de Serralves, 1992
Catálogo
At the edge: a portuguese futurist: Amadeo de Souza Cardoso
Lisboa, Ministério da Cultura, Gabinete das Relações Internacionais; Washington : The Corcoran, 1999
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso
Lisboa, Sul, 1956
Monografia
A arte em Portugal no século XX, 1911-1961
Lisboa, Bertrand, 1985
Monografia
1887-1987 centenário do nascimento de amadeo de souza cardoso
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1987
Catálogo
Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão: Roteiro da colecção
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2004
Roteiro
História da arte em Portugal: Pioneiros da modernidade. Vol. 12
Lisboa, Alfa, 1988
Monografia
Portuguese 20th century artists: a biographical dictionary
Chichester, Phillimore, 1978
Dicionário
Amadeo de Souza-Cardoso: o português à força & Almada Negreiros: o português sem mestre
Venda Nova, Bertrand, 1986
Monografia
Cem Obras-Primas da Pintura Europeia
Lisboa, Verbo, [s.d.]
Monografia
Panorama da cultura portuguesa no século XX
Porto, Edições Afrontamento; Fundação de Serralves, 2002
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Assírio & Alvim, 2006
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Assírio & Alvim, 2006
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso: Fotobiografia: Catálogo raisonné. Vol. I
Lisboa, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Fundação Calouste Gulbenkian; Assírio & Alvim, 2007
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
Hamburg, Ernst Barlach Haus, 2007
Catálogo
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian/ Heimo Zobernig and the Collection of the Calouste Gulbenkian Foundation Modern Art Centre; Heimo Zobernig and the Tate Colllection/ Heimo Zobernig e a Colecção da Tate
Lisboa/ St. Ives, 2009
ISBN:978-1-85437-826-2
Catálogo de exposição
Arte Contemporáneo Portugués
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: CAM/FCG
Fevereiro de 1987 a Março de 1987
Madrid, Museo Espanõl de Arte Contemporáneo
Exposição organizada pelo CAM e pelos ministérios dos "Asuntos Exteriores" e da Cultura de Espanha. A exposição apresentou obras da Colecção do Centro de Arte Moderna e de colecções particulares.
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
CAM/FCG
Curadoria: Jürgen Bock
11 de Fevereiro de 2009 a 31 de Agosto
Centro de Arte Moderna
Exposição realizada em parceria com a Tate St. Ives. Inclui obras da colecção da Tate de St. Ives, do Centro de Arte Moderna e do artista Heimo Zobernig. De 24 de Maio a 31 de Agosto de 2009 estiveram expostas apenas as obras do CAM escolhidas pelo artista.
Arte Portuguesa Contemporânea
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Ministério dos Negócios Estrangeiros
Dezembro de 1976 a (?) de 1977
Museu de Arte Assis Chateaubriand, São Paulo
Dezembro de 1976 a (?) de 1977
Ministério das Relações Exteriores, Brasília
Dezembro de 1976 a (?) de 1977
Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
Exposição organizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, Secretaria de Estado da Cultura e Fundação Calouse Gulbenkian, em intercâmbio cultural luso-brasileiro com o Ministério das Relações Exteriores, Brasília, Museu de Arte Assis Chateaubriand, São Paulo e Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro. Exposição ligada à visita oficial do Presidente da República Portuguesa, Mário Soares, ao Brasil (15-21 de Dezembro).
amadeo de souza cardoso
Paulo Ferreira
23 de Janeiro a 18 de Março de 1958
Casa de Portugal
19 de Maio a 31 de Maio de 1956
Galeria Dominguez Alvarez
Exposição de pinturas, aguarelas e desenhos.
Amadeo de Souza - Cardoso: a primeira descoberta de Portugal na Europa no século XX
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Paulo Ferreira
Julho a Dezembro de 1983
Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
Exposição que integrou a Inauguração do Centro de Arte Moderna.
Amadeo de Souza Cardoso, 1887-1918
27 de Setembro a 8 de Dezembro de 1991
Museu de Arte Moderna
5 de Março a 19 de Abril de 1992
Fundação de Serralves
Evento integrado na Europália 91. Exibiu 59 obras de Amadeo.
Art Portugais - Peinture et Sculpture du Naturalisme à nos jours.
Fundação Calouste Gulbenkian
Outubro a Novembro de 1967
Palais des Beaux - Arts
Abril a Maio de 1968
Casón del Buen Retiro
30 de Janeiro a 25 de Fevereiro de 1968
Centre Culturel Portugais, Fondation Calouste Gulbenkian
Comissário: Fernando de Azevedo. Bruxelas, Paris, Madrid, Outubro de 1967 a Maio de 1968.
At the edge: a portuguese futurist: Amadeo de Souza Cardoso
20 de Janeiro a 17 de Março de 2000
The Arts Club of Chicago
11 de Setembro a 28 de Novembro de 1999
The Corcoran Gallery of Art
Exibiu 53 obras de Amadeo.
Le XXème au Portugal
28 de Abril a 29 de Junho de 1986
Centre Albert Borschette
Exibiu 3 obras de Amadeo.
Os Pioneiros da Arte Moderna Portuguesa: exposição evocativa dedicada ao Congresso Internacional da AICA na SNBA
Setembro de 1976
Sociedade Nacional de Belas - Artes
Exibiu 5 obras de Amadeo.
Pintura portuguesa de hoje - abstractos e neofigurativos
Maio a Junho de 1973
Universidade de Salamanca
Julho de 1973
Sociedade Nacional de Belas - Artes
24 de Abril a 6 de Maio de 1973
Palacio de la Virreina
Plano da exposição organizado por: João Rocha de Sousa (SNBA), Rui Mário Gonçalves (AICA), Francisco dAvillez (Secretaria de Estado da Informação e Turismo), Artur Nobre de Gusmão, José Aleixo da França Ribeiro e Fernando Azevedo (Fundação Calouste Gulbenkian).
Portuguese art since 1910: The Diplome Galleries
2 de Setembro a 1 de Outubro de 1978
Royal Academy of Arts
Exibiu 10 obras de Amadeo.
Retrospective de l'Oeuvre de Amadeo de Souza Cardoso
22 de Maio a 13 de Junho de 1925
Galerie Briant - Robert
Exibição de 155 obras de Amadeo
Artistas Portugueses na V Bienal de S. Paulo
Setembro a Dezembro 1959
Museu de Arte Moderna de São Paulo
Nesta bienal foi dedicada uma sala exclusivamente a Amadeo (Sala Amadeo de Souza - Cardoso).
Sonia e Robert Delaunay em Portugal e os seus amigos Eduardo Viana, Amadeo de Souza - Cardoso, José Pacheco, Almada Negreiros
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Paulo Ferreira
Abril a Maio de 1972
Fundação Calouste Gulbenkian
Exibiu 21 obras de Amadeo.
amadeo de souza-cardoso
Paulo Ferreira
Maio de 1959
Secretariado Nacional de Informação - Palácio Foz
Junho de 1959
Museu Nacional Soares dos Reis
Exibiu 172 obras de Amadeo, não estando todas identificadas.
Amadeo
11 de Junho a 3 de Julho de 1988
Palazzo Lazzarini
Exibiu 27 obras de Amadeo.
1887-1987 centenário do nascimento de amadeo de souza cardoso
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Fundação Calouste Gulbenkian
20 de Julho de 1987 a 31 de Outubro de 1987
Fundação Calouste Gulbenkian
Exposição realizada no âmbito do centenário do nascimento de Amadeo de Souza-Cardoso.
Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
Obras de Amadeo que fazem parte da colecção do CAM, presentes na exposição permanente.
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Curadoria: FREITAS, Helena de
15 de Novembro de 2006 a 15 de Janeiro de 2007
Fundação Calouste Gulbenkian
Integra 193 obras de Amadeo e 77 obras de artistas internacionais.
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
2 de Dezembro de 2007 a 30 Março de 2008
Ernst Barlach Haus
Apresentou 66 obras de Amadeo.