• 1983
  • Tela
  • Tinta acrílica e verniz
  • Inv. 84P576
  • Pintura
  • Arte Portuguesa

Ângelo de Sousa

Pintura (83-5-15G)

Ângelo de Sousa começou a pintar no final dos anos 50 e realizou a sua primeira exposição na Galeria Divulgação (Porto), ao lado de Almada Negreiros, em 1959. A sua estadia em Londres (1967-68) coincidiu com uma maior divulgação da arte minimal em terras britânicas, época em que Ângelo abandona a pintura, retomando-a a partir de 1972. Esta interrupção na produção pictórica significou um abandono da pintura de referente naturalista e a adopção de uma nova realidade, a par da cena artística internacional. Ou seja, as possíveis alusões que anteriormente recaíam sobre a figura desapareceram, assinalando a década de 70 uma alteração significativa no trabalho do artista.

 

A depuração espacial surge, nestes anos, com as pinturas da “série negra”: apenas uma área do quadro era pintada e a outra mantinha-se branca. Algo que deixa de acontecer, quando a superfície da tela passa a ser totalmente intervencionada, obtendo um efeito monocromático, como ocorre em Pintura (83-5-15G). A superfície é lisa e plana, a cor não-homogénea revela nuances cromáticas e as diversas linhas geométricas – que variam de pintura para pintura – estão claramente acentuadas na camada pictórica, possibilitando um destaque volumétrico. Normalmente, o entendimento do espaço em Ângelo de Sousa baseia-se na sua permanente construção compositiva constituída por linhas que o marcam e por vezes se cruzam, por movimentos aparentemente inexistentes na própria obra, ou seja, «num espaço descomprometido»*, nas palavras de Ernesto de Sousa. Assim, a pintura liberta-se de qualquer representação e afasta-se de um possível centro visual.

 

 

Patrícia Rosas

Janeiro de 2010

 

* Ernesto de Sousa, in Ser Moderno… em Portugal, Lisboa, Assírio & Alvim, 1998 [1975], p. 127.

TipoValorUnidadesParte
Altura200cm
Largura170cm
Tipo data
Posiçãona frente
Tipo assinatura
Posiçãona frente
TipoAquisição
DataDezembro 1984
Arte Contemporáneo Portugués
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 1987
Catálogo de exposição
Arte Contemporáneo Portugués
CAM Fundação Calouste Gulbenkian
 
Fevereiro de 1987 a Março de 1987
Madrid, Museo Espanõl de Arte Contemporáneo