Mily Possoz

“Fillette aux Manderines”

Trabalho exemplar do modo como Mily misturava influências, esta ponta-seca retoma um traçado inspirado na obra do gravador japonês Tsuguharu Foujita (1886-1968), nomeadamente na cabeça da figura. Evoca igualmente uma modernidade europeia que cita, no tampo inclinado da mesa sobre o qual frutos e objetos se dão à apreciação do espectador, as naturezas-mortas de Cézanne. A evidente capacidade mimética na representação dos objetos algo também muito querido à pintura flamenga do século XV é negada pela torção do corpo e das mãos e pela distorção da escala. Sublinhando esses aspetos, o gosto pela representação de interiores e pelo intimismo da cena, na casualidade do traje e do penteado, assentam estes pressupostos da modernidade numa revisitação da tradição flamenga, que Mily conheceu especialmente bem durante as suas estadas em Bruxelas.

 

 

EF

 

Maio de 2010

 

 

TipoValorUnidadesParte
Largura24,1cmmancha
Altura46,2cmpapel
Largura37,9cmpapel
Altura30,5cmmancha
TipoA definir
DataA definir
1/150 Gravar e Multiplicar
Almada, Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea, 2009
ISBN:9789728794583
Catálogo de exposição
1/150 Gravar e Multiplicar - Gravuras da Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea
Curadoria: Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea
31 de Janeiro de 2009 a 17 de Maio de 2009
Casa da Cerca
exposição comissariada por Ana Vasconcelos, Emília Ferreira e António Canau (Comissário científico).