• 1963
  • Caixamadeira
  • Assemblage
  • Inv. 99E808
  • Escultura
  • Arte Portuguesa

Lourdes Castro

Caixa Azul

A partir de 1961, quando se encontrava em Paris, Lourdes Castro explorou processos e recursos criativos paradigmáticos do movimento conhecido em França como Nouveau Réalisme, demarcando a essa data, o abandono definitivo da pintura tradicional e o interesse pela objectualidade. A presente obra é criada a partir da apropriação e acumulação de objetos utilitários pertencentes ao quotidiano da vida moderna, que são depois arrumados ou emoldurados numa caixa de madeira e transformados através de um elemento uniformizador que é, neste caso, a cor azul. Como uma “natureza morta” realista, estes objetos obsoletos descontextualizados do substrato utilitário, são investidos de uma nova nobreza e significado, antes imperceptível.*

 

 

* «Eu faço objectos /Eu faço esculturas /Eu faço relevos /Eu colo coisas /Eu colo tudo o que é para deitar fora, /todas as tralhas que já não servem para nada, /velhas coisas usadas, novas, muito novas, /sem graça; /coloco-as umas ao lado das outras, /empilhadas ou seguindo linhas, não sei /quais; espaços em volta ou espaços nenhuns, /cheios. /Pinto tudo a alumínio. /É isto». (Catálogo Lourdes Castro“Além da Sombra”, Lisboa, CAM-FCG, 1992, p. 48).

 

 

 

Catarina Crua 

Junho 2013

TipoValorUnidadesParte
Altura52cm
Largura52cm
Profundidade20cm
Tipo assinatura
TextoLourdes Castro
Posiçãoc.i.d.
Tipo data
Texto1963
Posiçãoc.i.d.
TipoAquisição
DataDezembro de 1999
KWY - Paris 1958-1968
Centro Cultural de Belém
Curadoria: Margarida Acciaiuoli
15 de Março de 2001 a 22 de Julho de 2001
Grande Hall de Exposições do Centro Cultural de Belém
Exposição sobre o grupo KWY: René Bertholo, Lourdes Castro, Christo, Gonçalo Duarte, José Escada, Costa Pinheiro, João Vieira e Jan Voss. A inauguração da exposição foi no dia 15 de Março de 2001, fazendo parte desta um almoço no Restaurante A Commenda, pelas 13 horas.