• 1948
  • Tela
  • Óleo
  • Inv. 83P119
  • Pintura
  • Arte Portuguesa

João Moniz Pereira

Cadavre exquis

Em finais de Outubro de 1947, ocorreu o primeiro encontro que formaria o designado Grupo Surrealista de Lisboa. Teve lugar na pastelaria Mexicana, na Praça de Londres, e dele fizeram parte António Pedro, Alexandre O’Neill, António Domingues, Fernando Azevedo, Cândido Costa Pinto, Marcelino Vespeira e José-Augusto França. A única exposição realizada pelo grupo, entre 19 e 31 de Janeiro de 1949, no antigo atelier de António Pedro e António Dacosta, reuniu 51 obras, entre pintura, desenho, colagem e objectos; foi apresentado este Cadavre exquis ou Quadro Colectivo – assim designado no catálogo –, que surtiu um grande destaque da crítica à exposição, e um outro Cadavre exquis de Azevedo e Vespeira.

Dividido em cinco partes, o Cadavre exquis executado por António Domingues, Fernando Azevedo, António Pedro, Marcelino Vespeira e Moniz Pereira, respectivamente da esquerda para a direita e de cima para baixo, é uma pintura de grandes dimensões. Com a superfície pictórica totalmente preenchida, este quadro foi realizado conforme o processo tradicional, em que cada artista desconhecia a parte pintada pelos restantes intervenientes. No final, juntaram a criação de cada um, passando o trabalho individualizado a ser colectivo. A unidade desta tela pode ser encontrada nas linhas e formas que se relacionam, como por exemplo, na junção entre a área pintada por Vespeira e Moniz Pereira. Uma das curiosidades deste género de obras reside na percepção das semelhanças existentes entre a parte pintada por cada artista e o conjunto do seu trabalho pictórico. Mas a grande diferença desta pintura face a outras do mesmo género, reflecte-se, no dizer de José-Augusto França, na «primeira experiência que se fez no mundo surrealista, em tais dimensões, já de exigência oficinal»*.

 

* José-Augusto França, A Pintura Surrealista em Portugal, Lisboa, Artis, 1966, p. 11.

 

 

PR

 

Janeiro de 2010

 

 

TipoValorUnidadesParte
Altura150cm
Largura180cm
Tipo legenda
TextoAntónio Domingues, António Pedro, Fernando Azevedo, Moniz e Vespeira - Lisboa - Abril - 1948 - Primeira Experiência de Pintura Colectiva pelo processo "Cadavre Exquis"
PosiçãoEm baixo ao centro
TipoAquisição
DataJulho de 1983
Arte Contemporáneo Portugués
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 1987
Catálogo de exposição
Surrealismo PORQUÊ? nos 60 anos da exposição do Grupo Surrealista de Lisboa
Tomar, Museu Municipal João de Castilho - Núcleo de Arte Contemporânea, 2009
Catálogo de exposição
Inauguração do CAM
CAM/FCG
 
20 de Julho de 1983
Centro de Arte Moderna/ FCG
 
Arte Contemporáneo Portugués
CAM Fundação Calouste Gulbenkian
 
Fevereiro a Março de 1987
Madrid, Museo Espanõl de Arte Contemporáneo
 
Exposição Permanente do CAM
CAM/FCG
Curadoria: Jorge Molder
18 de Julho de 2008 a 4 de Janeiro de 2009
Centro de Arte Moderna
 
Surrealismo em Portugal 1934-1952
Museu do Chiado
 
Outubro a Dezembro de 2001
Fundação Cupertino de Miranda

2001

MEIAC, Badajoz