• 1912
  • Tela
  • Óleo
  • Inv. 06P1267
  • Pintura
  • Arte Portuguesa

Amadeo de Souza-Cardoso

Avant la corrida

Apresentada entre pinturas cubistas no X Salon d’Automne (Paris, 1912), e levada depois ao Armory Show (1913), onde seria uma das obras escolhidas para os postais de venda e divulgação mediática, Avant la corrida pode ser entendido como um posicionamento de Amadeo face à emergência do cubismo e futurismo. Ao procurar atualizar o universo temático pessoal das cavalgadas através de uma geometrização do conjunto, numa estilização maneirista, graficamente saturada – análoga a Le Prince et la Meute e Dom Quixote –, concretiza uma paradoxal visão cubo-futurista que, assente na decomposição dinâmica da velocidade, é paralela a outras obras pioneiras desse ano – sobretudo a tela perto da qual é exibida em Chicago, o Nu descendant l’escalier de Marcel Duchamp*, – entre os primeiros ensaios modernistas de captar o movimento com meios pictóricos, contra o estaticismo cubista, mas sem aderir, igualmente, aos princípios doutrinários do futurismo.**

 

Avant la Corrida complica deliberadamente a legibilidade do tema no título, em benefício do jogo pictórico, marcado pela força dinâmica das linhas curvas ou oblíquas, gravadas como golpes na tela, num efeito de ondulações sucessivas que contrasta com aspecto anguloso do cubismo ortodoxo. A metódica desconstrução formal de Amadeo, de peculiar arranjo rítmico, dá lugar aos planos ensombrados e abstracionistas que sugerem ação, profundidade e volume às figuras, apesar da sua posição estática. O alvoroço da populaça antes da corrida confunde-se assim na espacialidade plana, apesar de manter a moldura tradicional para Amadeo: no primeiro plano, figuras sentadas observam o desfile; ao fundo, apontamentos de uma paisagem rural; e o núcleo central, fragmentado e disperso numa malha de linhas, ilustra a diversidade social, com roupas e chapéus de feitios diferentes, as caras esboçadas como máscaras africanas, reduzidas a um mínimo expressivo, e olhando para todos os lados da composição, no frenesi duma corrida anunciada.

 

A sofisticação destas soluções plásticas cinéticas passa assim pelo prisma da cultura popular, explorando a festa e o folclore, com uma vitalidade única entre as obras que a cercavam, fugindo ao monocromo cubista com uma gama original de cores térreas, aplicadas cirurgicamente sobre o dominante fundo branco, com esquemáticos cavalos verdes, azuis e amarelos, esguia e eclética, em várias poses, que desorientam os críticos, vendo-os como hieróglifos decorativos e exóticos.

 

Apesar do sucesso e do protagonismo inicial de Avant la Corrida, tendo sido comprada nove dias apenas após a abertura do Armory Show, em Nova Iorque, pelo pintor Robert Winthrop Chanler,*** só foi relocalizada um século depois, em 2006, pela Fundação Calouste Gulbenkian, que de imediato a adquiriu e mostrou, na exposição Diálogos de Vanguarda.

 

 

Afonso Ramos

Julho de 2013

 

 

* Vendo os quadros no Armory Show de Chicago na mesma sala, o importante pintor americano Manierre Dawson compra, coincidentemente, o estudo para este Nu (1912) de Marcel Duchamp e Retour de la Chasse (1911) de Amadeo – faltando-lhe o dinheiro para a terceira obra que elegeu entre as melhores que ainda estavam à venda, o La Femme au pot de moutarde (1910) de Picasso.

 

** Amadeo esteve na primeira exposição futurista em Paris, pertencendo ao círculo de amigos de Boccioni e Carrà, que criam também em 1912 as suas obras icónicas na figuração do movimento.

 

*** Além desta tela, a mais cara das sete obras que Amadeo vendeu no Armory Show (800 francos), o artista americano que encontra no português paralelos à sua própria obra, compra-lhe também uma aguarela, Marine (50 francos).

TipoValorUnidadesParte
Altura60cm
Largura92cm
Tipo assinado
Texto«A. DE SousA CaRDoso»
Posiçãoem baixo, à direita
TipoAquisição
International Exhibition of Modern Art
Chicago, The Art Institute of Chicago, 1913
Catálogo
The story of the Armory Show
New York, Abbeville Press, 1988
Monografia
Salon d'Automne: Catalogue des ouvrages de peinture, sculpture, dessin
Paris, Kugelmann, 1912
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Assírio & Alvim, 2006
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Assírio & Alvim, 2006
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso: Fotobiografia: Catálogo raisonné. Vol. I
Lisboa, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Fundação Calouste Gulbenkian; Assírio & Alvim, 2007
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
Hamburg, Ernst Barlach Haus, 2007
Catálogo
International Exhibition of Modern Art, Under the Auspices of Association of American Painters and Sculptors
Boston, Copley Society of Boston, 1913
Catálogo
International Exhibition of Modern Art (Armory Show)
17 de Fevereiro a 15 de Março de 1913
Armory of the 69th Infantry
24 de Março a 16 de Abril de 1913
The Art Institute of Chicago
28 de Abril a 18 de Maio de 1913
Copley Hall
Exposição realizada em New York, Chicago e Boston.
X Salon dAutomne
1 de Outubro a 8 de Novembro de 1912
Grand Palais des Champs Elysées
Amadeo expôs 3 obras.
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Curadoria: FREITAS, Helena de
15 de Novembro de 2006 a 15 de Janeiro de 2007
Fundação Calouste Gulbenkian
Integra 193 obras de Amadeo e 77 obras de artistas internacionais.
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
2 de Dezembro de 2007 a 30 Março de 2008
Ernst Barlach Haus
Apresentou 66 obras de Amadeo.