• 1915
  • Tela
  • Óleo
  • Inv. 77P15
  • Pintura
  • Arte Portuguesa

Amadeo de Souza-Cardoso

A casita clara – paysagem

Uma aguarela no acervo do CAM está seguramente associada a esta tela, e embora não seja certo ter sido um estudo, torna aqui clara a agilidade de Amadeo no métier da pintura a óleo – em pinceladas dextras e fluentes que amplificam as cores e estendem o espaço como se soltas das restrições do óleo. Os “contrastes simultâneos” entre estas cores vivas têm um claro parentesco em Robert Delaunay, então exilado em Vila do Conde, que os teorizava e reformulava desde que os inventou, curiosamente, numa série de Fenêtres [Janelas] (1912). Em parte, a simultanée formou-se como reacção ao claro-escuro do Cubismo. Mas esta pintura da cor pela cor era sobretudo encorajada por ser um fenómeno especificamente pictural e que correspondia a um estado de sensibilidade poética, o que foi de imediato celebrado por Apollinaire e Blaise Cendrars.

Amadeo não foi o único artista a fugir de Paris com a Guerra. Também Matisse se isolou em Collioure com Juan Gris, em 1914, pintando a sua célebre e sombria Porte-Fenêtre que abria para o preto absoluto do mundo em perigo. O contraste com os primeiros anos do exílio de Amadeo em Manhufe é notável, neste que foi um verdadeiro regresso ad uterum e deu origem a uma pintura plena de energia vital e de cores radiantes, com obras que se impõem na geografia do modernismo como “ex-cêntricas”, mas de maneira alguma insulares. A série de janelas que Amadeo pintou entre 1915 e 16, entre as quais esta obra, com as suas formas abstractas e cores comunicantes, torna claro porque se escreveu então que sobre elas corria o “vermelho, vermeeeeelho, amaaaaarélo, todos os tons de amarelo; verde intensamente verde, as cores da rapidez, da alegria, concebidas no tempo e não no espaço, as cores do carnaval mais estravagante e estridente”!*

 

* Excerto de um texto colado junto aos quadros de Amadeo na sua exposição individual no Porto em 1916. Autor desconhecido. Citado em Amadeo de Souza Cardoso: Diálogo de Vanguardas, CAM/FCG, Assírio & Alvim, Lisboa, p. 483.

 

 

AR

 

Março de 2011

 

 

TipoValorUnidadesParte
Altura30,5cm
Largura40,5cm
Tipoassinado
Texto«amadeo / de souza / c ardoso»
Posiçãocanto superior esquerdo
TipoAquisição
Data1977
Exposição de Pintura (Abstraccionismo): amadeo de souza- cardoso
Porto, [s.n.], 1916
Catálogo
Exposição de Pintura: amadeo souza-cardoso
Lisboa, [s.n.], 1916
Catálogo
amadeo de souza-cardoso
Lisboa, SNI, 1959
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso : a primeira descoberta de Portugal na Europa no século XX
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna, 1983
Catálogo
Roteiro do Centro de Arte Moderna
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 1985
Roteiro
Amadeo de Souza-Cardoso: pintura, desenho, aguarela
Porto, Jornal de Notícias, 1985
Catálogo
Amadeo
Roma, Companhia de Seguros Bonança, 1988
Catálogo
Amadeo de Souza-Cardoso
Madrid, Fundación Juan March, 1998
Catálogo
At the edge: a portuguese futurist: Amadeo de Souza-Cardoso
Lisboa, Ministério da Cultura, Gabinete das Relações Internacionais; Washington : The Corcoran, 1999
Catálogo
Mondrian. Amadeo: da paisagem à abstracção
Porto, Asa, 2001
Catálogo
Sinteses=Arte+António Cardoso
[s.l.], Gémeo, 2004
Monografia
1887-1987 centenário do nascimento de amadeo de souza- cardoso
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1987
Catálogo
História da Arte Portuguesa: Do Barroco à Contemporaneidade. Vol. III
Lisboa, Círculo de Leitores, 1995
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Assírio & Alvim, 2006
Catálogo
La légende de Saint Julien l'hospitalier. Edição facsimilada
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, 2006
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
Hamburg, Ernst Barlach Haus, 2007
Catálogo
Correspondências: Vieira da Silva por Mário Cesariny
Lisboa, Assírio & Alvim; Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, 2008
Catálogo
Vieira da Silva, Arpad Szenes ou o castelo surrealista : pintura de Vieira da Silva e de Szenes nos anos 30 a 40 em Lisboa
Lisboa, Assírio & Alvim, 1984
Monografia
Amadeo de Souza-Cardoso: a primeira descoberta de Portugal na Europa no século XX
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Paulo Ferreira
Julho a Dezembro de 1983
Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
Amadeo de Souza-Cardoso: pintura, desenho, aguarela
8 de Março a 5 de Abril de 1985
Galeria Jornal de Notícias
At the edge: a portuguese futurist: Amadeo de Souza-Cardoso
20 de Janeiro a 17 de Março de 2000
The Arts Club of Chicago
11 de Setembro a 28 de Novembro de 1999
The Corcoran Gallery of Art
amadeo de souza-cardoso
Paulo Ferreira
Maio de 1959
Secretariado Nacional de Informação - Palácio Foz
Junho de 1959
Museu Nacional Soares dos Reis
Exposição de Pintura: amadeo de souza-cardoso
4 de Dezembro a 12 de Dezembro de 1916
Liga Naval de Lisboa, Palácio do Calhariz
Exposição de Pintura (Abstracionismo): amadeo de souza- cardoso
1 de Novembro a 12 de Novembro de 1916
Salão de Festas do Jardim de Passos Manoel
Amadeo
11 de Junho a 3 de Julho de 1988
Palazzo Lazzarini
Amadeo de Souza-Cardoso
16 de Janeiro a 1 de Março de 1998
Fundación Juan March
Exposição co-organizada pelo Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão da Fundação Calouste Gulbenkian.
Mondrian. Amadeo: da paisagem à abstracção
28 de Junho a 30 de Setembro de 2001
Museu de Arte Contemporânea de Serralves
1887-1987 centenário do nascimento de amadeo de souza- cardoso
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Fundação Calouste Gulbenkian
20 de Julho de 1987 a 31 de Outubro de 1987
Fundação Calouste Gulbenkian
Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
Amadeo de Souza-Cardoso: diálogo de vanguardas
Curadoria: FREITAS, Helena de
15 de Novembro de 2006 a 15 de Janeiro de 2007
Fundação Calouste Gulbenkian
Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918): Ein pionier aus Portugal
2 de Dezembro de 2007 a 30 Março de 2008
Ernst Barlach Haus
Correspondências: Vieira da Silva por Mário Cesariny
5 de Junho a 4 de Outubro de 2008
Fundação Arpad Szenes/ Vieira da Silva