Sarah Affonso e a Arte Popular do Minho

Esta exposição explora a relação entre a obra de Sarah Affonso e a arte popular do Minho. Muitas vezes recordada como a mulher de Almada Negreiros, pretende-se aqui evocar Sarah Affonso como uma artista modernista reconhecida com um percurso próprio, de notável qualidade.

Estabelecendo uma ponte entre as duas variáveis mais importantes neste diálogo que convocamos – Sarah Affonso e a arte popular minhota –, a exposição apresenta, em paralelo, as obras de Sarah Affonso que mais especificamente citam o vernáculo regional, com os objetos cerâmicos, têxteis, de ourivesaria, que formam parte do léxico visual que a inspirou. Sarah Affonso trabalhou estas referências no contexto de uma produção visual claramente modernista, cuja matriz e filiação se investiga.

A publicação que acompanha a exposição integra a série conversas e os textos em versão bilingue (português/inglês) são da autoria da curadora da exposição, Ana Vasconcelos, e de António Medeiros, Rosa Maria Mota e Vera Barreto.

António Medeiros evoca as referências ao Minho na obra da artista e a forma como se articularam com a «moda do Minho» que marcou a cultura e arte portuguesas do início do século XX.

A curadora desta exposição, Ana Vasconcelos, revisita a obra da artista através de um conjunto específico de peças inspiradas na iconografia popular do Minho e nas memórias da infância vivida em Viana do Castelo.

Rosa Maria Mota sublinha a importância da presença de objetos em ouro na vida das populações a nível económico, social e religioso. Esta vivência testemunhada por Sarah Affonso ecoa na sua obra.

Uma breve biografia de Sarah Affonso por Vera Barreto revela-se através de uma perspetiva diacrónica da vida e obra desta artista.


Ficha técnica

Textos:
Ana Vasconcelos, António Medeiros, Rosa Maria Mota e Vera Barreto
Coordenação editorial:
Museu Calouste Gulbenkian
Editado:
2019
Páginas:
40
Língua:
Português/Inglês
Capa:
Brochado
ISBN:
978-989-8758-61-3
Preço:
10 €
Stock:
available