Ana Hatherly e o Barroco. Num Jardim Feito de Tinta

Produzida no âmbito da terceira exposição do ciclo conversas, esta publicação bilingue explora, através de uma cuidada relação entre texto e imagem, as ligações entre a artista portuguesa Ana Hatherly (1929-2015) e a corrente artística e literária do Barroco. O texto é da autoria do curador Paulo Pires do Vale e inicia-se com uma introdução que desenvolve os princípios orientadores da exposição – A tradição como inovação –, abordando seguidamente as categorias da mundivisão barroca que estão na génese dos núcleos da mostra: Labirinto: dobras sobre dobras; Tempo: o Jogo e a Morte; Alegoria: a folia da interpretação; Metamorfose: o diálogo oblíquo entre poesia e pintura.

No que diz respeito às imagens, o leitor começa por se surpreender com um conjunto de ilustrações de algumas das obras expostas e, no decorrer do texto, encontra-as articuladas com as secções da exposição. Publica-se também um desdobrável que reproduz grande parte da emblemática série de desenhos da artista intitulados A Romã. Mas talvez a maior novidade desta série de publicações seja a inclusão de uma separata, onde se reedita, com a colaboração de Ana Marques Gastão, um dos vários ensaios de Ana Hatherly sobre o período histórico em análise: «Representações do tempo na idade barroca».

  • Textos: Paulo Pires do Vale
  • Coordenação editorial: Museu Calouste Gulbenkian
  • Editado: 2017
  • Capa: Brochado
  • Páginas: 32
  • Língua: Português/Inglês
  • ISBN: 978-989-8758-45-3
  • Preço: €10
  • Stock: Disponível