Filme e Vídeo na Colecção do CAM

2010

7 de Maio a 11 de Julho 2010
CAM – 1.ª Sala
Coordenação: Leonor Nazaré

O filme, como suporte ou meio de expressão artística, começou a ser utilizado em Portugal no início dos anos 70, de forma experimental. Só no final da década o vídeo passou a ser acessível de forma consequente. Em 1981, José Manuel Vasconcelos organizou uma mostra de arte portuguesa em suporte fílmico na Gallery of New Concepts da School of Art and Art History da Universidade de Iowa, com o nome de Portuguese Video Art. Do grupo seleccionado, constavam catorze artistas plásticos, entre os quais Helena Almeida e Julião Sarmento. Apesar de tecnicamente incipientes, estes trabalhos constituíram o primeiro conjunto geracional reunido e divulgado de ensaios estéticos nesta área. Não estiveram, nessa mostra, Ângelo de Sousa, Fernando Calhau ou Ana Hatherly apesar de o seu trabalho experimental com este meio seguir um caminho igualmente significativo. Após uma década, durante a qual a pintura e a escultura conheceram particular soberania, os anos 90 farão surgir uma geração que trabalha todos os meios de forma muito diversificada e que pode já utilizar o suporte vídeo de forma profissional ou tecnicamente consolidada. São, por isso, mostrados vários trabalhos posteriores a 2000 de uma geração de artistas mais novos.

 

Artistas representados: Helena Almeida, Julião Sarmento, Fernando Calhau, Ana Hatherly, Ângelo de Sousa, João Onofre, Rui Calçada Bastos, Noé Sendas, Bruno Pacheco, Filipa César, João Paulo Feliciano, Rui Valério.