Jorge Pinheiro. D’Après Fibonacci e as Coisas lá Fora

Jorge Pinheiro: D’Après Fibonacci e As Coisas Lá Fora é o nome da exposição patente na Fundação de Serralves até 7 janeiro de 2018. A mostra é dedicada à obra de Jorge Pinheiro – artista incontornável do panorama artístico português dos anos de 1960 e 1970 – e reúne 80 obras entre desenho, pintura e escultura. Algumas das obras de maior destaque expostas resultam de um empréstimo da Fundação Calouste Gulbenkian: estas atestam o domínio que o artista revela nas diferentes linguagens plásticas e ilustram uma parte significativa do percurso artístico do mesmo.

Após um início marcado pela figuração, assiste-se em 1966 a uma rutura na obra de Jorge Pinheiro, agora dedicada à abstração geométrica – como é exemplo a escultura S/ Título (1968) (inv. 98P604), de acentuada matriz gráfica e cromática. As obras Alegoria de viagem turística de Marcel Duchamp ao Portugal desconhecido (1976) (inv. DP308) e Relatório completo da viagem de Ulisses (1976) (inv. DP309) representam a forte influência do desenho geométrico e da sequência Fibonacci na produção de Pinheiro e, por fim, Bispo (azul) (1981) (inv. 83P585) leva-nos ao regresso à figuração, calculada e academizante.

A par desta exposição-homenagem, este ano o artista foi ainda distinguido com o Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, distinção extraconcurso.