17 Outubro 2019

100 anos de Arte Portuguesa no Amoreiras

O convite dirigido pelo Amoreiras Shopping Center ao Museu Calouste Gulbenkian permite reunir, na praça central do centro comercial, 12 obras de arte daquela que é considerada a mais importante coleção de arte portuguesa do século XX: a Coleção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian.

Esta mostra no Amoreiras destaca e revela a diversidade de artistas portugueses de renome internacional que fazem parte desta Coleção e reflete também o seu caráter dinâmico, com novas aquisições, obras inéditas e obras-primas da arte portuguesa do século XX de autores como Amadeo de Souza-Cardoso, José de Almada Negreiros, Maria Helena Vieira da Silva ou Paula Rego.

Na Coleção Moderna encontramos a expressão dos ideais e dos interesses do modernismo refletidos nas obras de Amadeo e de Almada, protagonistas da modernidade e do experimentalismo vanguardista, representados na Coleção com um núcleo bastante extenso de obras.

Duas outras figuras emblemáticas com grande representação na Coleção – e que adquiriram um lugar de destaque na história da arte internacional – são Maria Helena Vieira da Silva, que depois de exilada no Brasil é recebida e consagrada em França, e Paula Rego, que se instala definitivamente em Londres a partir dos anos de 1970, fator que influenciou inteiramente a sua obra e vida.

Abarcando peças de cariz figurativo, abstrato e Pop, realizadas entre as décadas de 1960 e 1980, as obras de Jorge Vieira, Ana Hatherly e António Palolo sustentam a diversidade descomprometida que se segue a partir de meados do século XX.

Nos trabalhos mais recentes, de Leonel Moura, Jorge Molder, Pedro Cabrita Reis ou Grada Kilomba, vigora a articulação que liga a atividade artística do passado recente, do presente e da projeção do futuro, recorrendo a técnicas e materiais tão díspares como a fotografia, a escultura e a instalação vídeo, bem como a abordagem a temáticas diversas. A presença da figura humana, a ação e o movimento do corpo como força que emerge da cultura e da desenvoltura da prática artística dos séculos XX e XXI estão aqui patentes e reforçam a dinâmica e a qualidade que a Coleção Moderna impôs a si própria.

Até 20 de outubro na Praça Central do Amoreiras e no Miradouro 360.º Panoramic View.

A última visita guiada realiza-se no dia 18 de outubro, às 15h.
Ponto de encontro: balcão de informações. Entrada livre com visita ao Miradouro.

Atualização em 17 Outubro 2019