Pintura

1958

«Se quiserem […] podem chamar-lhe um quadro abstracto. Mas eu lembro-me que o Escada […] me falava de Nossa Senhora no mar, ou do mar com Nossa Senhora, ou de Nossa Senhora sobre uma manhã de mar. […] Só adianto que se o vissem, é provável que vissem o mar, mas não Nossa Senhora. Não é de espantar: vemos o mar a cada passo, nunca conheci ninguém que tivesse visto Nossa Senhora.»

João Bénard da Costa – Crónicas: Imagens proféticas e outras. 1º vol. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010, pp. 223-224