«New York, New York»

Fred Kradolfer e Emmerico Nunes pintam Nova Iorque

Fred Kradolfer chegou a Portugal em 1924, atraído pelo clima soalheiro. É dele, segundo consta, a designação da Costa do Sol («Voilá! C’est la Côte du Soleil», terá dito ao ver a linha de Cascais). Com uma formação em ourivesaria e tendo frequentado a Academia de Belas-Artes de Munique, Kradolfer foi sobretudo um artista gráfico e um notável publicitário. Integrou-se rapidamente no reduzido círculo de artistas de Lisboa, e fez escola com os seus projetos gráficos verdadeiramente modernos. Esta sua pintura datada de 1921 regista um perfil arquitetónico de uma Nova Iorque imaginária, num estilo gótico cinzelado, como uma peça de ourives, encastrada em azul. Curiosamente, Kradolfer trabalhou juntamente com Emmerico Nunes na decoração do pavilhão português para a Exposição Internacional de Nova Iorque, em 1939, ocasião em que Emmerico realiza esta vista de Brooklyn sob a neve, recortando-se ao fundo a silhueta do arranha-céus Art Déco do Williamsburgh Savings Bank, o edifício mais alto de Brooklyn, construído entre 1927 e 1929.