Ilustradoras modernistas

Nas obras do acervo da Biblioteca de Arte em exposição na vitrina do piso -01 da Coleção Moderna existe agora um conjunto de livros publicados nas primeiras três décadas do século XX, cujas ilustrações são de mulheres artistas que, de algum modo, têm ficado na sombra dos seus contemporâneos masculinos. São elas Alice Rey Colaço (1890-1978), Mily Possoz (1888-1967), Mamia (Maria Emília) Roque Gameiro (1901-1996), Raquel Roque Gameiro (1889-1970), Sarah Affonso (1899-1983) e Ofélia Marques (1902-1952).

Alguns são estórias infantis, escritas por mulheres escritoras da mesma época, como Jane Bensaúde (1862-1938) autora do conto As bonecas (1923) que Mily Possoz ilustrou, como também as Viagens aventurosas de Felicio e Felizarda ao Polo Norte imaginadas por Ana de Castro Osório (1872-1935), aprovado como livro de leitura do Ensino Normal e Primário em 1920; as estórias de Mariazinha em África: romance para meninos, da escritora Fernanda de Castro (1900-1994), com as duas edições de 1925 e 1935 ilustradas pela pintora Sarah Affonso (1899-1983), que ilustrou igualmente Tesouro da casa amarela(1932), peça infantil também escrita por Fernanda de Castro, coautora, com Teresa Leitão de Barros, do livro Varinha de condão(1924) cuja capa é de Mamia Roque Gameiro e tem ilustrações de sua irmã Raquel.