Sir Lawrence Alma-Tadema

Uma coleção com histórias: em 2020, partilhámos semanalmente uma história sobre a coleção de Calouste Gulbenkian. O mês de outubro foi dedicado a grandes colecionadores.
John Singer Sargent, «Bailarina Javanesa» (pormenor), c. 1889. Óleo sobre madeira. Coleção do Fundador

O pintor Lawrence Alma-Tadema (1836-1912) nasceu em Dronryp, nos Países Baixos. Na década de 1850, Lawrence mudou-se para a Bélgica, onde estudou arte holandesa e flamenga na Royal Academy de Antuérpia, tornando-se mais tarde professor na mesma instituição. Alma-Tadema trabalhou com vários artistas belgas de renome antes de se estabelecer como pintor de forma independente.

Após o seu casamento, o artista viajou até Itália, tendo visitado cidades como Florença, Roma, Nápoles e as ruínas de Pompeia. A arte que aí descobriu influenciou fortemente a sua obra e as paisagens da antiguidade grega e romana foram protagonistas da sua pintura. No final da década de 1860, Lawrence perdeu a sua jovem mulher e pouco depois desenvolveu uma doença que os médicos belgas não conseguiam diagnosticar, o que o levou a deslocar-se a Inglaterra.

O eclodir da guerra franco-prussiana e uma nova paixão contribuíram para a sua mudança definitiva. Alma-Tadema conheceu grande êxito no país, relacionando-se com o círculo dos pré-rafaelitas, que influenciaram a sua pintura. Em 1899, o artista foi armado cavaleiro pela Rainha Vitória, um acontecimento raro para um cidadão que não nascera no Reino Unido.

A sua obra evoluiu para a conceção de cenários e figurinos, bem como peças de mobiliário. O artista dedicou muito tempo a decorar a sua casa de família, inspirada numa villa de Pompeia.

Biombo Alma Tadema

Em 1913, Calouste Gulbenkian, apreciador da obra de Alma-Tadema, adquiriu seis pinturas que haviam feito parte de um grupo de quarenta e cinco que decorava o hall da casa do artista holandês em Londres. Da autoria de Frank Dicksee (Andrómeda), Henry Moore (Luar no Mar), John Singer Sargent (Bailarina Javanesa), David Murray (Pôr-do-Sol), Herbert Gustave Schmalz (Mártir Cristã) e Sientje Mesdag-van Houten (Paisagem em Drenthe), as pinturas foram encomendadas por Alma-Tadema a amigos. Na obra Bailarina Javanesa, tema comum na obra de John Singer Sargent, é visível uma dedicatória do autor a Alma-Tadema: «To my friend Alma Tadema».

As obras compradas por Gulbenkian foram instaladas num biombo concebido para o efeito.


Uma Coleção com Histórias

Em 2020, partilhámos semanalmente uma história sobre a coleção de Calouste Gulbenkian. O mês de outubro foi dedicado a grandes colecionadores.

Conhecer outras histórias