30 Junho 2020

Corpos negros no espaço branco do Museu

A Escolha das Curadoras: Rita Fabiana destaca a obra «Illusions Vol. I Narciso e Eco» de Grada Kilomba

Grada Kilomba, Still de «Illusions Vol. I, Narcissus and Echo», 2017. Coleção Moderna

Artista interdisciplinar e escritora, Grada Kilomba (Lisboa, 1968) vive e trabalha em Berlim, onde tem desenvolvido uma obra que cruza a literatura, o teatro, a música, a performance e a instalação. A colonização e seu legado – memória, trauma, raça e género –, a descolonização e a diáspora africana são temas centrais no seu trabalho, que analisa criticamente os sistemas de produção de conhecimento através da formulação de três questões fundadoras: «Quem pode falar?» [who can speak?]; «O que podemos falar?» [what can we speak about?] e «O que acontece quando falamos?» [what happens when we speak?].

Grada Kilomba, «Illusions Vol. I, Narcissus and Echo», 2017. Instalação de vídeo com 2 canais/projeções, HD, cor, som, 31’32” (excerto). Coleção Moderna

 

A instalação Illusions Vol. I Narciso e Eco (2017) reencena o mito grego de Narciso e Eco, recuperando ao mesmo tempo as tradições orais africanas do contador de histórias e da produção oral de conhecimento. O mito de Narciso e Eco é aqui simultaneamente uma metáfora do passado colonial e uma metáfora das políticas de representação, no presente, introduzindo o corpo negro no espaço branco da imagem, com referências ao próprio espaço branco da galeria e do museu (White Cube), marcado pela ausência histórica do corpo negro.

 

Rita Fabiana
Curadora do Museu 


A Escolha das Curadoras

Ao longo dos próximos meses, as curadoras da Coleção Moderna refletem sobre uma seleção de obras, que inclui trabalhos de artistas nacionais e internacionais, sob a rubrica «As Escolhas das Curadoras».

Mais escolhas