Natividade

Em época de Advento, a vitrina dos livros manuscritos do Museu Calouste Gulbenkian recebe dez livros de horas, realizados entre os séculos XV e XVI, com representações iconográficas do nascimento de Cristo.

A arte da miniatura – assim designada pela escala diminuta das pinturas – encontrou o seu expoente máximo entre a Idade Média e o início do Renascimento. Produzidas em ateliês muito especializados, por vezes realizadas a mais do que duas mãos, estas pinturas era usadas sobretudo na ornamentação de livros manuscritos.

Livro de Horas de René II, Duque da Lorena. França, 1473-1479. Manuscrito sobre pergaminho, fol. 27v. Museu Calouste Gulbenkian

Celebrando a presente época festiva, os livros de horas expostos no Museu Calouste Gulbenkian, realizados entre os séculos XV e XVI em França, na Flandres e em Itália, encontram-se agora abertos na cena da Natividade. A partir do século XV, como se pode ver nos exemplares em exposição, as representações do nascimento de Jesus passaram a integrar as figuras da Virgem Maria e de São José a adorar o Menino.

Livro de Horas, incunábulo. Paris: Philippe Pigouchet, 1498. Impresso sobre velino, fol. 34v. Museu Calouste Gulbenkian

Entre os livros selecionados encontra-se um incunábulo – designação atribuída aos livros impressos nos primórdios da imprensa, entre 1455 e 1500 –, no qual podem ser observadas outras cenas relacionadas com o nascimento de Jesus e que fazem parte da secção do livro de horas conhecida como Horas da Virgem, como a Adoração dos Pastores e a Adoração dos Magos.

Livro de Horas, uso de Roma. França, Poitiers e/ou Tours?, c. 1460-1470. Manuscrito sobre pergaminho, fol. 43v. Museu Calouste Gulbenkian

Mais do que ilustrarem o texto, estas miniaturas constituem uma interpretação dos principais momentos da vida de Maria, de acordo com os contextos geográficos e culturais em que os livros de horas foram concebidos.

Livro de Horas, uso de Roma. França, c. 1520. Manuscrito sobre pergaminho, fol. 69v. Museu Calouste Gulbenkian
Atualização em 02 maio 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.