FCG Secção: Música

Jazz em Agosto 2017

Em 2017, o festival Jazz em Agosto apresenta 14 projetos com identidade do jazz atual de ambos os lados do Atlântico, um campo vasto de contaminações transformadoras, evidenciado desde logo nos concertos de abertura e encerramento: Sélébéyone, nova proposta do saxofonista Steve Lehman, onde o jazz abraça o rap e o hip hop com a participação do histórico HPrizm (Antipop Consortium), e o projeto High Risk, do trompetista Dave Douglas, que exibe uma abordagem eletrónica com o incomparável Shigeto, evocando os pioneiros da expressão.

 

Dois inovadores guitarristas são pontos de referência: David Torn no projeto Sun of Goldfinger, secundado pelos incontornáveis Tim Berne e Chess Smith, e o músico francês Julien Desprez, como membro da criativa e imprevisível Coax Orchestra, ou a solo na original performance Acapulco Redux. A aventura do solo estende-se também a Steve Lehman, ampliado no recurso às eletrónicas, e ao contrabaixista Pascal Niggenkemper explorando os limites do instrumento. Figura icónica do jazz libertário, o saxofonista Peter Brötzmann celebra a sua mais recente e inesperada relação com Heather Leigh, especialista de pedal steel guitar.

 

Traço dominante de todos os concertos é a presença de músicos que ultrapassam barreiras geográficas em contínuo movimento, forjando novas associações e novas maneiras de pensar o jazz. É o caso do quinteto escandinavo Life and Other Transient Storms, da trompetista portuguesa Susana Santos Silva, que conta com a saxofonista Lotte Anker e o pianista Sten Sandell, e do Sudo Quartet, uma formação com improvisadores europeus de renome, entre os quais o violinista Carlos Zíngaro, a contrabaixista Joëlle Léandre e o baterista Paul Lovens; a representação portuguesa no Jazz em Agosto 2017 completa-se no duo EITR com os músicos Pedro Sousa e Pedro Lopes, improvisadores já destacados da nova geração.

 

Três grupos constituídos por personalidades que têm marcado o jazz contemporâneo através das suas inúmeras participações em projetos multidirecionais integram ainda a programação do festival: o tórrido quarteto Starlite Motel onde avultam o organista Jamie Saft e Ingebrigt Håker Flaten no baixo elétrico, o quinteto The Fictive Five do saxofonista Larry Ochs que se inspira em cineastas contemporâneos (Wim Wenders, Kelly Reichardt) com o trompetista Nate Wooley, o baterista Harris Eisenstadt e dois contrabaixistas, Pascal Niggenkemper e Ken Filiano, e por fim o quarteto colaborativo Human Feel com o baterista Jim Black, os saxofonistas Chris Speed, Andrew D’Angelo e o guitarrista Kurt Rosenwinkel.

 

Bem-vindos à 34.ª edição do Jazz em Agosto.

 

Rui Neves
Diretor Artístico