Sanguinho, ramo © Paula Côrte-Real

Sanguinho

Cornus sanguinea

Família e descrição

Pertencente à família Cornaceae, género Cornus, o Cornus sanguinea é um arbusto de folha caduca que pode alcançar os 5 m de altura.

Os ramos mais jovens possuem, sobretudo no inverno, uma coloração púrpura. As folhas são simples, ovadas e pecioladas, com cerca de 8 cm de comprimento. Também adquirem coloração púrpura no outono.

As flores, corimbos terminais de cor branca, são hermafroditas e surgem durante a primavera e verão. São polinizadas por insetos.

O fruto é uma drupa globosa de cor azul muito escuro ou negra, tem 5 a 8 mm de diâmetro, contendo uma única semente no seu interior.

 

Origem e habitat

Natural da Europa e Ásia Menor, em Portugal é comum em lugares frescos e bem regados, como orlas de matas, castanhais e linhas de água, onde não esteja sujeito à secura ou forte insolação.

O sanguinho não tem preferências relativamente ao tipo de solo.

 

Utilizações e curiosidades

A sua propagação pode ocorrer por semente ou rebentos radiculares.

O fruto é apreciado como alimento por diversas aves e alguns mamíferos, sendo particularmente preferido por passeriformes frugívoros em detrimento de outras frutas, o que o torna um excelente recurso em pomares biológicos.

A sua madeira, dura e de cor clara, era tradicionalmente utilizada em marcenaria.

O seu nome, “cornus” deriva do latim e significa “osso”, aludindo à dureza da sua madeira.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.