O Fantástico na Arte Contemporânea

Edição
Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço ACARTE, 1992
Notas
Obra publicada por ocasião do colóquio «O Fantástico na Arte Contemporânea»
Proveniência
Biblioteca de Arte Gulbenkian, Lisboa / AHG 617
Direitos
A utilização deste documento, de acordo com os Termos de Utilização, exige a prévia autorização da respetiva entidade detentora (Proveniência). No caso de o documento pertencer ao acervo da Fundação Calouste Gulbenkian essa autorização poderá ser solicitada através do formulário Autorização para a Utilização.
Texto(s)
Madalena de Azeredo Perdigão, «[Abertura]», p.5
Maria Alzira Seixo, «[Introdução]», pp. 7-8
Rui Mário Gonçalves, «[Apresentação]», pp. 9-16
Magdalena Wandzioch, «André Maurois et les Métamorphoses du fantastique au XXème siècle», pp. 19-28
Pedro Vieira de Almeida, «O fantástico na arquitectura», pp. 31-38
José Blanc de Portugal, «Fantasia sobre o fantástico», pp. 41-47
Filipe Furtado, «Os discursos do metaempírico», pp. 51-57
Jorge Leitão Ramos, «Elementos do fantástico em «Silvestre» de João César Monteiro», pp. 61-66
Salvato Teles de Menezes, «Esboço de uma abordagem do cinema fantástico», pp. 69-74
Maria Leonor Machado de Sousa, «O conto fantástico português: que tradições?», pp. 77-84
Maria Helena Serôdio, «O fantástico em quatro peças portuguesas do século XX», pp. 87-101
Louis Marin, «Du fantastique dans l’art contemporain. Sur quelques aspects théoriques», pp. 105-114
Maria Alzira Seixo, «O Romance de José Saramago. O fantástico da história ou as vacilações da representação», pp. 117-122
Carlos M. Couto Sequeira Costa, «Costa. A partir de Leibniz. Fantasmas, fantasias & caprichos para uma filosofia do fantástico», pp. 125-148
Silvina Rodrigues Lopes, «O Apocalíptico em alguma literatura fantástica recente», pp. 151-159
Rui Mário Gonçalves, «Impossível falsear o invisível», pp. 163-174
José Nobre da Silveira, «As metáforas vazias do sonho», pp. 177-185
Vasco Granja, «[Sem título]», pp. 189-192
José-Augusto França, «Para uma (in)definição do fantástico», pp. 195-200
Manuel João Gomes, «Sombras e duplos no espelho da literatura portuguesa», pp. 203-215
Jorge Peixinho, «Música sem fantástico ou música arte-fantástica», pp. 219-222
Charles Grivel, «L’impossible corps d’images. Max Ernst», pp. 225-248

Exposições

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.