SlowMotion

Programa de exposições dedicado à videoarte portuguesa, contando com a participação de artistas de diferentes gerações, integrado no projeto SlowMotion (2000-2003), ao qual a Fundação Calouste Gulbenkian se associou, contribuindo para que este alcançasse maior visibilidade.
Exhibition programme dedicated to Portuguese video art, featuring the participation of several generations of artists. The exhibitions were part of the SlowMotion (2000-2003) project, in which the Calouste Gulbenkian Foundation participated, helping give the project greater visibility.

Comissariado por Miguel Wandschneider, este programa de exposições dedicado à videoarte portuguesa teve início em maio de 2000, propondo a reflexão e o debate sobre o uso do filme e do vídeo na arte contemporânea portuguesa, através de exposições e conversas com artistas. Apresentado em contexto académico, mais precisamente na galeria e auditório da Escola Superior de Tecnologia Gestão e Design, nas Caldas da Rainha, este projeto e as suas atividades pretendiam alcançar diferentes públicos. A Fundação Calouste Gulbenkian associou-se-lhe desde o primeiro momento, através de um apoio concedido pelo Serviço de Belas-Artes.

O programa começou com uma seleção de trabalhos em filme (maioritariamente em Super 8) e vídeo produzidos nas décadas de 1960 e 1970. Através de experiências pioneiras e seus desenvolvimentos, de artistas como Carlos Calvet (1928-2014), Artur Varela (1937-2017), Ângelo de Sousa (1938-2011), Fernando Calhau (1948-2002), Vítor Pomar (1949), Julião Sarmento (1948-2021), entre outros, este projeto procurou contribuir para a construção de uma perspetiva histórica da adoção destes media pelos artistas portugueses, a par das conhecidas tendências internacionais. As mostras eram individuais, apresentando vários trabalhos de cada artista, com duração de cerca de uma semana. Seguiu-se uma diversidade de propostas e experiências da década de 1990, com participações de João Paulo Feliciano (1963), António Olaio (1963), Miguel Soares (1970), Noé Sendas (1972), Paulo Carmona, Ana Léon (1957), Rui Toscano (1970), Pedro Tropa (1973), entre outros.

Entre maio e agosto de 2002, o projeto estendeu-se à cidade de Lisboa, ocupando a Galeria de Exposições Temporárias da Sede da Fundação Calouste Gulbenkian (piso 01). Prosseguindo a linha cronológica, esta última fase incidia na produção dos finais da década de 1990 e dos primeiros anos de 2000. Os sete artistas selecionados – Catarina Campino (1972), Pedro Cabral Santo (1968), Francisco Queirós (1972), João Onofre (1976), Filipa César (1975), Bruno Pacheco (1974) e Pedro Diniz Reis (9172) – viram o seu tralhado apresentado em simultâneo nas Caldas da Rainha e em Lisboa, em exposições individuais distintas em cada um dos locais. Mantendo a Escola Superior de Tecnologia Gestão e Design como palco principal do projeto, tiveram aí lugar, a par das exposições de curta duração (cerca de dez dias), conversas com artistas.

Para acompanhar as exposições, foi produzido um conjunto de desdobráveis, cada um dedicado a dois artistas. Além da lista dos vídeos expostos e da programação associada, a produção filmográfica e videográfica de cada um dos artistas selecionados era analisada num texto assinado pelo curador.

Ao acolher este projeto, a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) contribuía para que ele alcançasse uma maior visibilidade, incentivando igualmente uma circulação de públicos entre ambas as cidades. Por outro lado, esta parceria marcaria o início de uma possível futura colaboração entre Miguel Wandschneider, a associação organizadora Art Attack/A062, a Escola Superior de Tecnologia Gestão e Design e a Fundação Calouste Gulbenkian num outro projeto: a criação de um arquivo de videoarte portuguesa a ser sediado no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão. No entanto, este segundo projeto, proposto por Miguel Wandschneider à FCG, nunca chegou a ver a luz do dia.

Mariana Roquette Teixeira, 2019


Ficha Técnica


Artistas / Participantes


Publicações


Material Gráfico


Imprensa


Fontes Arquivísticas

Arquivos Gulbenkian (Centro de Arte Moderna), Lisboa / CAM 00506

Pasta com documentação referente à produção da exposição. Contém correspondência, apólices de seguro, lista de convidados para a inauguração e convites. 2002 – 2002

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 23112

Pasta com documentação referente à criação de um centro de documentação de filme e vídeo nas artes visuais em Portugal, proposto por Miguel Wandschneider, no seguimento do projeto «SlowMotion», apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Contém correspondência, projeto para o centro de documentação e folhetos com a programação do projeto «SlowMotion». 2000 – 2002

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 09790

Pasta referente ao apoio concedido pela Fundação Calouste Gulbenkian ao projeto «SlowMotion». Contém apresentação do projeto, correspondência e notas de pagamento. 2000 – 2000

Arquivos Gulbenkian (Serviço de Belas-Artes), Lisboa / SBA 09986

Pasta referente ao apoio concedido pela Fundação Calouste Gulbenkian ao projeto «SlowMotion». Contém correspondência e notas de pagamento. 2000 – 2001


Exposições Relacionadas

Ana Léon

Ana Léon

2003 / Centre Culturel Calouste Gulbenkian, Paris

Definição de Cookies

Definição de Cookies

Este website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. Podendo também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.