Desafios 2018

Todos os anos, os desafios do Hackathon são selecionados pela Fundação Gulbenkian considerando o impacto que as soluções tecnológicas podem vir a ter na resposta a problemas reais, tanto em Portugal como no resto do mundo.

Na edição de 2018, BEM-ESTAR DE CRIANÇAS E JOVENS foi o novo tema. Ainda assim, pela primeira vez, houve também a oportunidade de explorar os desafios das edições anteriores: BEM-ESTAR DOS IDOSOS e INTEGRAÇÃO DE REFUGIADOS E MIGRANTES.

  • 1Integração de Refugiados e Migrantes

    Este desafio tem cinco áreas de impacto:

    Infraestrutura

    • Promoção da criação de soluções que permitam maior conectividade e acesso à internet e
      tecnologia;

    Educação

    • Criação de soluções de educação formal e/ou não formal, tanto online como offline;
      Identidade
    • Encontrar soluções para a ausência de documentos, o reconhecimento de diplomas e
      outros tipos de documentação;

    Identidade

    • Encontrar soluções para a ausência de documentos, o reconhecimento de diplomas e outros tipos de documentação;

    Saúde

    • Soluções tecnológicas inovadoras na área da saúde;

    Inclusão

    • De modo a facilitar a integração social, cultural e económica de migrantes, requerentes de asilo e refugiados nas suas comunidades de acolhimento;
  • 2Bem-estar dos Idosos

    Este desafio tem nove áreas de impacto:

    Saúde, bem-estar e estilos de vida saudável

    • Desenvolvimento de soluções que se foquem na criação de melhores infraestruturas e serviços de saúde;
    • Formas de controlo/ monitorização e de integração da prestação de cuidados;
    • Alimentação, prática de exercício físico e adesão aos planos médicos com vista a promover a saúde e um estilo de vida saudável;

    Envelhecimento no local de trabalho

    • Conceitos e soluções que promovam a manutenção das pessoas mais velhas na vida ativa;
    • Respostas tecnológicas que tornem o ambiente de trabalho amigo da idade;
    • Meios inovadores que permitam às pessoas mais velhas partilhar o seu conhecimento e experiência, mantendo uma vida profissional ativa;

    “Ageing in place”

    • Acompanhamento, monitorização e prestação de cuidados às pessoas mais velhas para a sua manutenção na comunidade, ao invés de serem institucionalizadas;
    • Desenvolvimento de respostas tecnológicas para apoio às pessoas mais velhas que vivem na comunidade, com vista à sua independência e permanência na sua habitação;

    Mobilidade

    • Tecnologias de vanguarda que promovam a mobilidade em espaços públicos e privados, com vista a maior participação das pessoas mais velhas;

    Cuidadores

    • Qualificação dos cuidadores familiares e profissionais;
    • Criação de instrumentos para monitorização tecnológica à distância;
    • Estratégias para capacitação dos cuidadores familiares e profissionais (ex. formação em formato e-learning);

    Lazer

    • Treino e desenvolvimento das capacidades cognitivas, que previnam ou retardem a evolução do declínio cognitivo e promovam a autonomia nas tarefas de vida diárias;

    Comunicação e networking

    • Meios inovadores para comunicação e interação que contribuam para combater o
      isolamento e promovam a interação social;
    • Empoderamento e valorização das pessoas mais velhas
    • Estratégias de partilha de conhecimento, atividades intergeracionais, e de promoção da participação, cidadania e práticas de voluntariado;
    • Transferência de conhecimento e valorização de skills;

    Violência

    • Contra as pessoas mais velhas – soluções para combate e monitorização dos fenómenos de violência física, psicológica e financeira;
    • Prevenção de todas as formas de discriminação contra os mais velhos;
  • 3Bem-estar das Crianças

    Este desafio tem quatro áreas de impacto:

    Saúde, bem-estar e estilos de vida saudáveis

    • Acompanhamento, supervisão, monitorização nos cuidados prestados nos primeiros anos de vida;
    • Nutrição e prática de exercício físico – bons hábitos contra a obesidade e sedentarismo;
    • Bem-estar subjetivo, felicidade e satisfação com a vida;
    • Práticas de relaxamento e concentração – impacto na produtividade;
    • Distúrbios psicológicos e de comportamento (saúde mental);
    • Comportamentos de risco
      • Indisciplina, consumos de álcool e drogas, práticas sexuais de risco, gravidez
        na adolescência, violência;
      • Cyberbullying;
      • Cyber-dependência;
    • Pessoas com necessidades especiais como: terapia da fala; perturbações do neuro-desenvolvimento, perturbações no espectro do autismo, casos de défice de atenção, de hiperatividade;

    Desenvolvimento de aptidões e potencialidades

    • Estímulo à criatividade, artes e desporto;
    • Aquisição de competências emocionais e sociais, que complementam as competências cognitivas. Disciplina, responsabilidade, participação e cidadania;

    Aprendizagem

    • Estimulação, motivação, formas lúdicas e apelativas que facilitem a aprendizagem com prazer;
    • Ferramentas para escolas e professores;
    • Insucesso, absentismo e abandono escolar;

    Parentalidade

    • Qualificação dos cuidadores, pais e outros familiares e profissionais;
    • Melhoria das práticas parentais, capacitação, monitorização;
    • Reforço e valorização das competências dos pais, das famílias e das comunidades;
    • Inter-geracionalidade;

     

How It Works

IDEAÇÃO

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

Vamos percorrer o país à procura das melhores ideias tecnológicas. Inscreve-te, escolhe uma cidade e vem apresentar-nos a tua ideia!

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

Where?

Faro ∙ Lisboa ∙ Coimbra ∙ Covilhã ∙ Aveiro ∙ Porto ∙ Braga ∙ Vila Real

When?

Março e Abril

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

HACKATHON

1st Stage

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

Esta maratona non-stop de trabalho duro e muitas ideias, com muita diversão à mistura, pode levar-vos - a ti e à tua ideia - mais longe! Inscreve-te já, esperamos por ti no Porto!

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

1st Stage

Where?

Porto

When?

5 e 6 de Maio

Não precisas de estar na Ideação para participar no Hackathon.

BOOTCAMP

2nd Stage

Só os projetos selecionados terão acesso direto ao bootcamp.

Se a tua ideia é uma das melhores ideias depois do Hackathon, terás acesso direto ao bootcamp! Aí, terás o apoio de que precisas para atingir a fase de desenvolvimento de produto, pilotos e proposta de investimento. E se fores fantástico/a? Prepara-te para o Web Summit!

Só os projetos selecionados terão acesso direto ao bootcamp.

2nd Stage

Where?

Virtual ∙ Porto ∙ Lisboa

When?

Maio a Novembro

Só os projetos selecionados terão acesso direto ao bootcamp.

WEB SUMMIT

3rd Stage

Só os projetos selecionados no Bootcamp terão acesso ao Web Summit.

As equipas com mais potencial depois do bootcamp serão convidadas a juntarem-se a nós no nosso stand no Web Summit, para apresentarem os seus projetos ao mundo.

Só os projetos selecionados no Bootcamp terão acesso ao Web Summit.

3rd Stage

Where?

Lisboa

When?

5 a 8 de Novembro

Só os projetos selecionados no Bootcamp terão acesso ao Web Summit.

INCUBAÇÃO

4th Stage

Apenas os projetos interessados terão acesso aos parceiros de incubação.

A incubação é a última fase deste programa integrado e pretende facilitar o contacto com incubadoras para que os melhores projetos possam continuar a crescer nos mercados nacional e internacional.

4th Stage

Where?

Lisboa

When?

A partir de Novembro

Apenas os projetos interessados terão acesso aos parceiros de incubação.

FAQ's

See All FAQs
  • Como me posso inscrever?

    As inscrições estão encerradas.

  • Quem pode participar?

    Estamos à procura de ‘fazedores’ – pessoas corajosas que não têm medo de um bom desafio. O Hack For Good da Gulbenkian destina-se a programadores, gestores, pessoas criativas e outras pessoas que desejam e têm a capacidade de desenvolver soluções tecnológicas para resolver os desafios que apresentamos. As equipas devem, de preferência, ser multidisciplinares.