Mobilidade de Educadores

Projeto que envolveu monitores das equipas da Fundação Calouste Gulbenkian e membros das equipas educativas de diferentes organizações culturais do país

Um processo de partilha de conhecimentos, análise crítica das metodologias utilizadas por cada um e criação de novas atividades, tendo em vista a qualificação dos profissionais desta área.

O PME (Programa de Mobilidade de Educadores) deu corpo a um modelo que visava “sair para fora de portas” para cooperar com os agentes e equipamentos culturais nos seus territórios. Esta premissa de agir em parceria privilegiava a partilha de metodologias e o ensaio de experiências criadas de raiz e à medida dos contextos locais, em desfavor da exportação/replicação instantânea de atividades que terminavam no momento em que a Fundação se retirava.
A avaliação global foi positiva, com a valorização dos seguintes indicadores:
– Observar atividades educativas fomentou a criatividade e exigiu aos profissionais envolvidos a avaliação crítica e a adequação das atividades à sua realidade;
– Usufruir de um programa de formação feito à medida do seu saber, da “sua” instituição e do “seu” património, aprender com as boas práticas realizadas na Fundação e serem sempre coadjuvados por colegas experientes;
– Permitir aos formandos mobilizar os conhecimentos adquiridos para a conceção e realização de uma atividade educativa nova.

Outro aspeto positivo do PME foi a quebra de isolamento, fator apontado como a principal causa para a falta de inovação no trabalho educativo destes museus. Para os educadores do Descobrir, o projeto instigou-os a alargar repertórios e a reavaliar práticas educativas.

A importância deste modelo de formação para os profissionais de serviço educativo, para as instituições e para o património levou à sua extensão a várias regiões do país. Por outro lado, a consciência mútua de que é necessário dar continuidade à formação iniciada para consolidar as aquisições do PME levou à identificação de necessidades em áreas específicas que estão a ser alvo de ações de formação complementares. 

Atualização em 31 Janeiro 2018