Partidas e chegadas. Artistas em viagem

Visita táctil com audiodescrição para jovens e adultos

De Paris, Amadeo de Souza-Cardoso escreveu, numa carta endereçada à mãe e datada de 1907, que «as viagens são o grande livro do artista». Que mensagem pretendeu ele transmitir? As viagens, impulsionadas quer pelo desejo de novidade, quer pela necessidade de refúgio, sempre influenciaram de forma determinante os artistas e a sua obra. Muitos foram, por exemplo, os jovens portugueses que, entre 1910 e o final dos anos 20, viajaram para Paris com bolsas de estudo concedidas pelo Estado. A maioria, forçada pelo eclodir da Primeira Guerra Mundial, regressou ao país. O casal Delaunay (ele francês, ela ucraniana) chegou a Portugal acompanhando alguns desses artistas, fixando-se cá. Décadas mais tarde, durante o Estado Novo, a própria Fundação Calouste Gulbenkian ajudaria dezenas de artistas a irem estudar para o estrangeiro. Hoje em dia, todos procuram viajar: o desconhecido é sempre estimulante e enriquecedor. Nesta visita, o convite é para embarcarmos numa viagem que cruza artistas com os seus contextos e percursos. Porta de embarque: Coleção Moderna!

Conceção e orientação
Cristina Campos

Audiodescrição
AR Produções, Lda.

 

Audiodescrição

 

Nota: Visita inclusiva para público com deficiência visual. 

Próximas sessões

Sobre a atividade:

Duração: 60 minutos

Mínimo de participantes: 5

Máximo de participantes: 15

Língua: Português

Preço: 2,00 €

Onde:

Ponto de encontro: Museu Calouste Gulbenkian - Coleção Moderna

Abrir Google Maps

Detalhes da atividade:

Época:

Ciclo:

Tipo:

Equipa educacional: